Dirigente da Indy cita "desconforto" como motivo para saída de Fontana

Mark Miles explica porque a categoria não chegou a um acordo com o Auto Club Speedway para 2016 e fala sobre provas novas

O CEO da Hulman & Company (empresa que gere a Indy), Mark Miles, deu entrevista à rádio IMS nesta sexta-feira em Pocono e revelou os motivos pelos quais a pista de Fontana não estará no calendário da próxima temporada da categoria.

"Para nós, Fontana é uma grande pista que gera boa competitividade, mas há algumas questões. Uma coisa que coletivamente não conseguimos acordar foi o fato de eles quererem ser a corrida final."

"Nós gostaríamos que eles fossem a última corrida – adoraríamos estar em um superspeedway para o fim do campeonato. Mas para eles precisaria ser à noite.”

"Nós não estamos confortáveis com um evento que decide o título acabando na costa leste à 1h", admitiu. "Nosso paddock entende isso.”

"No final, temos de chegar a mais pessoas e é difícil de fazer isso de madrugada. Espero que as pessoas percebam que precisamos coroar nosso campeão quando há mais gente assistindo."

Começando mais cedo, terminando mais tarde

Miles ainda mergulhou um pouco mais fundo no calendário da IndyCar para 2016, afirmando que o campeonato irá começar mais cedo e terminará mais tarde com "aproximadamente a mesma quantidade de corridas".

A temporada terá seu início em meados de março, provavelmente em St. Petersburgo, que está programada para o dia 13 de março. O ano vai terminar no meio de setembro, com a última corrida confirmada até este momento como sendo no fim de semana do Dia do Trabalho nos EUA (7 de setembro), nas ruas de Boston.

Em relação ao retorno iminente do Phoenix Internacional Raceway, Miles acrescentou: "houveram muitas conversas com Phoenix e não é nenhum segredo que estamos perto de tê-los de volta no calendário."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias IndyCar
Tipo de artigo Últimas notícias
Tags auto club speedway, fontana, mark miles, phoenix