Dixon: “coragem” e “trabalho duro” deram título em 2018

compartilhar
comentários
Dixon: “coragem” e “trabalho duro” deram título em 2018
David Malsher
Por: David Malsher
17 de set de 2018 15:11

Scott Dixon atribui seu pentacampeonato na Indy a “muito trabalho duro” e “muita coragem” após fechar a corrida de Sonoma em segundo e terminar a temporada sem nenhum abandono ou um resultado pior do que o 12º lugar.

O piloto de 37 anos entrou na corrida 29 pontos à frente de Alexander Rossi, mas terminou com vantagem de 57 pontos. Não se tratou somente de seu quinto campeonato, mas também do terceiro nos últimos seis anos. Agora, ele é o único piloto além de AJ Foyt a conquistar mais do que quatro títulos.

“É tudo uma questão de pessoas”, disse o neozelandês. “Não consigo agradecer a Emma, minha esposa, o suficiente. Ela tem sido tão incrível nesta temporada, e, na verdade, é o aniversário do falecimento de seu pai, então, obviamente, é um momento emocionante para ela e para sua família.”

“Não consigo agradecer o suficiente a todos os envolvidos, minha equipe, meus companheiros de equipe. Isso não vem sem muito trabalho duro. Tivemos muita coragem, muitas coisas que poderiam dar errado.”

“Um enorme agradecimento à PNC [patrocinadora] por chegar neste ano e realmente erguer a equipe. A Honda tem sido incrível, e a NTT Data [patrocinadora] também. Minha família, todos em casa e na Inglaterra [país de origem de sua esposa], e especialmente minha esposa.”

Dixon admitiu que o episódio em que sobreviveu a um acidente múltiplo na etapa de Portland foi o momento em que ele percebeu que o campeonato ainda estava em aberto, mesmo que ele tivesse tido um susto.

“Eu soube naquele dia que teríamos sorte ao sair daquela poeira naquele acidente, sendo atingido algumas vezes e podendo abrir distância. Eu sabia naquele dia que seria bom, mas eu estava esperando que não tivéssemos gastado tudo antes de chegarmos à última corrida.”

Ele também deixou sua homenagem aos rivais durante mais uma batalha pelo campeonato.

“Tenho de agradecer às outras equipes com as quais lutamos, Penske e Andretti. Rossi fez um tremendo trabalho – ele tem forçado tanto neste ano, é um enorme talento e vencerá muitos títulos em sua carreira.”

Dixon admitiu que sentiu a pressão reduzir quando ficou sabendo do acidente de Rossi na volta de abertura.

“Estávamos apenas nos certificando de que não nos colocaríamos em um lugar estranho durante a prova sobre o qual eles pudessem capitalizar. O fato de ele ter perdido quase uma volta meio que ajudou também. Mas ninguém está fora. Até que estivéssemos com tanque cheio após a última parada, pronto para ir até o fim, pude vê-lo subindo na classificação.”

“Cara, isso é muito incrível. Não acredito que isso tenha acontecido de verdade. Você sempre duvida muito dessas situações que acha que nunca vai acontecer. Não posso agradecer a todos o suficiente. Isso é muito legal.”

Próxima IndyCar matéria
Vice da Indy, Rossi se diz satisfeito com “2018 incrível”

Previous article

Vice da Indy, Rossi se diz satisfeito com “2018 incrível”

Next article

Radar verde-amarelo: pódios dos “outros” Fittipaldi e Leist

Radar verde-amarelo: pódios dos “outros” Fittipaldi e Leist
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria IndyCar
Pilotos Scott Dixon
Autor David Malsher
Tipo de matéria Últimas notícias