História recente diz que Montoya não será campeão da Indy em 2015

compartilhar
comentários
História recente diz que Montoya não será campeão da Indy em 2015
Nick DeGroot
Por: Nick DeGroot
14 de jul de 2015 21:24

Mas quem precisa prestar atenção na história quando se tem uma temporada como esta?

Vencedor Juan Pablo Montoya, Team Penske Chevrolet durante sessão de fotos
Juan Pablo Montoya, Team Penske Chevrolet
Helio Castroneves, Team Penske Chevrolet e Juan Pablo Montoya, Team Penske Chevrolet
Vencedor Graham Rahal, Rahal Letterman Lanigan Racing
Juan Pablo Montoya, Team Penske Chevrolet
Scott Dixon, Chip Ganassi Racing Chevrolet

Apenas um homem liderou a IndyCar em toda temporada e seu nome é Juan Pablo Montoya. Desde a vitória em St. Petersburg em março, até o quarto lugar em Milwaukee, apenas o colombiano esteve no controle.

Uma temporada excepcional

Nas últimas cinco corridas, sua vantagem cresceu substancialmente, de 11 para 54 pontos, excedendo o mínimo necessário de uma prova, exceto em Indianápolis e Sonoma, na última corrida do ano.
Apenas uma vez ele ficou de fora do Top10. Seu impecável 2015 o faz parecer à prova de bala e somente o azar poderia abalar seu domínio.

Faltam apenas quatro provas para alguém demonstrar que quer tirar o título de suas mãos, com dois ovais e dois circuitos mistos. É interessante notar que Montoya venceu nesses dois tipos de circuito este ano.

A ameaças mais próximas de JPM

Seu maior desafio será segurar Scott Dixon, um veterano com mais de 250 corridas, 37 vitórias e três campeonatos a seu favor. Desconsiderá-lo agora seria tolice.

Então você tem Graham Rahal, que vem num bom ano, quando muitos achavam que ele cairia de rendimento conforme a temporada fosse passando. Ao contrário, o tempo passou e a RLL só melhorou.

Rahal está envolvido num quase tríplice empate, com Hélio Castroneves - com o mesmo número de pontos - e Will Power, ambos companheiros de equipe de Montoya.

Os últimos anos não mentem

Derrotar Montoya nessa altura do campeonato não seria algo sem precedentes. Em 2013, Dixon tirou  66 pontos para ganhar o título em cima de Castroneves. Em 2014, Power fez o mesmo com o brasileiro, mas com 75 pontos.

Como falei no início, a margem atual é de 54 pontos, menos do que os dois exemplos que citei. A temporada está longe de acabar, mas este ano há um nome diferente na mira.

Montoya não demonstrou qualquer calcanhar de Aquiles até agora e não espero que a Penske comece a apresentar um. E lembre-se, o campeão de 1999 da CART já esteve nessa situação antes.

Pontuação duplicada

Os 100 pontos em jogo na última prova é uma grande incógnita, sim , mas não tanto quanto Fontana costumava ser quando era a última corrida do ano. Imagine se aquela prova que vimos na Califórnia fosse a última da temporada? Seria uma loucura ou talvez aquilo que a Indy necessita.

Sonoma é uma corrida domável e previsível, mas ainda assim, não cometa o erro de entregar o troféu a Juan Pablo Montoya ainda.

Próxima IndyCar matéria
Após largar em último e chegar em segundo, Helinho agradece time

Previous article

Após largar em último e chegar em segundo, Helinho agradece time

Next article

Após vitória, Bourdais valoriza KV: “não temos tantos recursos”

Após vitória, Bourdais valoriza KV: “não temos tantos recursos”
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria IndyCar
Pilotos Juan Pablo Montoya
Equipes Team Penske
Autor Nick DeGroot
Tipo de matéria Comentários