Indy cogita introduzir aeroscreen no fim de 2018

Dirigente da categoria explica que testes conduzidos por Scott Dixon nesta semana serão importantes para determinar metas para a novidade

De acordo com o presidente de competições e operações da Indy, Jay Frye, a categoria americana poderá introduzir a proteção de cockpit do aeorscreen ao fim de 2018, dependendo do resultado dos testes de Phoenix.

A categoria revelou o protótipo da proteção na última sexta-feira e detalhou planos que colocam Scott Dixon como responsável por testar o sistema nsta semana.

A Indy se recusou a se comprometer a um prazo para introduzir a proteção e vem trabalhando de forma contínua nos bastidores com a Dallara e a fabricante PPG, usando o mesmo material utilizado por aviões caças.

Frye  afirmou que o teste deixará claro se a Indy deverá introduzir o aeroscreen, além de estabelecer possíveis prazos para sua instalação.

“Esta será a primeira vez que o colocaremos em um carro na pista. Isso será para dizer verdadeiramente o que virá a seguir e quando isso aconteceria”, disse Frye.

“Fizemos toda a simulação e tudo mais, exceto colocar [o aeroscreen] na pista.”

“Este é o próximo passo. Mesmo assim, precisamos passar por um processo. Nós o integraremos ou não? Se integrarmos, como podemos avançar? É algo para 2019 ou para o fim de 2018?”

“Uma vez que ele estiver no carro, vamos ver como isso afeta sua dirigibilidade. Podemos coletar os dados sobre como isso afeta o carro. Isso nos fará melhorar mais e mais, sabendo o que queremos fazer e como podemos avançar.”

O novo aerokit universal da Indy foi desenvolvido pensando na segurança, removendo peças aerodinâmicas complexas que pudessem soltar detritos. A instalação do sistema de proteção de cockpit exigiu modificações mínimas.

“Queremos apenas garantir que faremos o correto, da forma correta”, disse Frye.

“O carro da forma como está atualmente possui capacidade de segurança muito mais robusta, com a parte lateral e a parte da ‘garrafa de Coca-Cola’ indo um pouco à frente. Queremos continuar avançando. Ainda não terminamos.”

Frye disse que o aeroscreen pode fazer com que a sensação ao volante se assemelhe aos velhos carros da Indy, quando ainda havia pequenos para-brisas.

“Começamos com isso [o novo desenho do carro] em março de 2016 para chegar onde está hoje”, explicou.

“Foi um processo longo, um processo ótimo, mas verificamos tudo o que fizemos. Os testes foram incríveis desde o começo.”

“Há uma sensação histórica sobre esse carro. Vamos voltar e olhar algumas fotos antigas de carros quando eles tinham [para-brisas no passado].”

“Pode não parecer algo novo. Estamos tentando um visual diferente. Vamos ver.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias IndyCar
Tipo de artigo Últimas notícias