Kanaan se diz disposto a assumir risco da Indy 500 após acidentes

Brasileiro diz que “corridas não são seguras” e que pilotos estão acostumados com perigo nos ovais

Os acidentes destas duas semanas de treinos em Indianápolis deixaram muitas pessoas preocupadas com a segurança dos pilotos durante a corrida deste final de semana, a famosa Indy 500. O brasileiro Tony Kanaan, um dos mais experientes do grid e vencedor das 500 Milhas em 2013, disse que não há muito como controlar o risco que se é exposto em um circuito rápido como é Indianápolis.

"Se havia alguma dúvida de que o Honda poderia capotar, ela foi respondida segunda-feira", disse Kanaan sobre o acidente de Hinchcliffe. Os outros pilotos a capotarem – Castroneves, Newgarden e Carpenter – usavam Chevrolet.

"Obviamente, não é uma preocupação. Eu, como piloto, não sei como se conserta isso, mas eu acredito que a IndyCar, a Chevy e a Honda estão concentradas nisso.

“Você bate em uma parede a 350 km/h. Vou dizer que Hinchcliffe não quebrou nenhum osso, mas teve a suspensão passando pela perna. Não estou tentando dizer que não é assim tão ruim, mas poderia ter sido pior. Se você olhar, dois problemas foram mecânicos - Hinch foi suspensão e Newgarden foi um pneu que furou. Foi apenas um carro que voou. Se olharmos para falhas do passado isso também aconteceu.”

"Para ser honesto, isso não é diferente do que qualquer outro ano para mim. As corridas não são seguras. Eu acho que nós sabemos o risco que corremos todos os dias, e eu estou disposto a assumir este risco."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias IndyCar
Evento Indy 500
Pista Indianapolis Motor Speedway
Pilotos Tony Kanaan
Equipes Chip Ganassi Racing
Tipo de artigo Últimas notícias