Leist pode se tornar grande na Indy, elogia Foyt

Larry Foyt indica, no entanto, que estreante brasileiro ainda tem muito a aprender e destaca o papel de Kanaan no processo

Chefe da equipe AJ Foyt, Larry Foyt afirmou que Matheus Leist, que fará sua estreia na Indy em 2018, tem sido “impressionante em todos os aspectos”, apesar de que seus incidentes durante os testes mostraram o quanto ele ainda precisa aprender.

Leist registrou três vitórias em sua temporada na Indy Lights, com a Carlin, sendo que duas delas foram obtidas em ovais. Além disso, ele foi o novato mais rápido durante os três dias de testes em Phoenix. Contudo, Foyt afirmou que o brasileiro de 19 anos ainda precisa aprender com seu companheiro de equipe, o veterano Tony Kanaan.

Foyt disse ao Motorsport.com: “Esse é o nosso terceiro teste com Matheus – Sebring, Sonoma e Phoenix –, e, honestamente, ele foi impressionante em todos. Ele nunca havia estado em Sonoma, e, depois de duas saídas, ele estava muito competitivo, o que é ótimo.”

“Ele passou perto [de bater] em Phoenix, e os detritos que esses pneus produzem são bem diferentes daquilo que ele viu antes na Indy Lights. Mas ele já aprendeu isso agora.”

Durante os dois dias de teste, Leist rodou na curva 1, mas não chegou a tocar no muro; depois, chegou a encostar por três vezes no muro – uma vez na curva 2, mais duas na curva 4. Porém, assim como foi com Kanaan, Leist andou em ritmo forte e terminou na metade de cima do pelotão.

“Acho que, considerando o quão rápido ele foi, acho que ele foi bem ao não deixar nenhum desses incidentes se transformar em grandes impactos, e sim em apenas uns esbarrões. Ele tem muito talento. Acho que ele pode se tornar grande na Indy”, continuou Foyt.

“Mas ainda há mais para aprender: testar é uma coisa, correr é outra. E há algumas coisas que só são possíveis aprender estando lá. TK [Kanaan] tem sido muito útil ao falar com ele, e AJ também foi falar com ele quando ele andou alto demais, dizendo que ele não podia fazer aquilo.”

“Em um dos incidentes, Matheus disse que o carro à frente reduziu de uma vez e ele não estava preparado, e não conseguiu ver isso. Até mesmo Tony mencionou que, com o arrasto removido, o carro não reduz como era antigamente quando se tira o pé. Então, você precisa pensar mais na frente do que estava acostumado.”

“Quer dizer, é bastante difícil para todos os pilotos, até mesmo os mais experientes. Phoenix será uma corrida dura para todos.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias IndyCar
Pilotos Matheus Leist
Tipo de artigo Últimas notícias