Mesmo com contusão, Kanaan diz que não existe chance de não correr

"O único risco é o médico me vetar", fala o brasileiro que tem um décimo lugar como melhor resultado em SP

Tony Kanaan

Tomando precauções, Tony Kanaan tem quase certeza de que pode correr na SP Indy 300 sem problemas. O brasileiro competirá com uma proteção no dedo, mas a luxação em sua mão direita já começou a cicatrizar e só tende a melhor até domingo, segundo o próprio brasileiro.

“Não estou preocupado. Estou fazendo todo o possível dentro do que posso fazer para ficar bom”, falou ao TotalRace.

Kanaan se envolveu em um acidente com Oriol Servià na última volta do GP de Long Beach disputando o quinto lugar. Na batida, seu volante chicoteou e machucou três tendões da mão direita. Os médicos dizem que Tony só ficará 100% curado em oito meses.

“Tem alguns movimentos que eu não consigo fazer. Mas estou fazendo tudo dentro do que dá para ficar bom. Só vou saber se dá para correr ou não 8h30 da manhã de sábado, hora que a pista abrir.”

“Sei que dá para correr com dor. Já corri com 17 parafusos, braço quebrado. Já cheguei em terceiro em Indianápolis em 2003 com gesso e tudo. Sei o que esperar, não é uma coisa que nunca passei”, lembrou.

O baiano se mostrou tranquilo quanto à recuperação e o tratamento neste fim de semana. “Temos um acompanhamento com os médicos da Indy muito próximos, então eles têm meios de me dar algum analgésico que eles saibam que não vai afetar meu reflexo, que vá ajudar e não danificar meu machucado.”

“Não existe chance de eu não correr, esquece. O único risco é o médico me vetar. Mas, como já me liberaram na segunda-feira, então não tem como me vetar, porque o ligamento só vai melhorar daqui para frente. Ele disse: 'Agora depende de você aguentar'. Então, está comigo, e não vou abrir a boca nem a pau. Se eu gritar estou de capacete, ninguém vai ouvir.”

“Se for afetar minha segurança e a dos outros pilotos, vamos perceber, porque com uma dor imensa o tempo da volta vai ser bem pior, aí a gente vai saber que... esquece”, relatou.

Enfático, Kanaan disse que não vê sua contusão interferindo na pilotagem. “Não espero que afete desempenho, porque é um movimento que não preciso fazer para guiar. Para apertar alguns botões, talvez tenhamos que mudar alguns botões de lugar. Todos para o lado esquerdo.”

“Vou correr com uma proteção no dedo, não para aliviar a dor, mais para se acontecer de novo não danificar mais”, contou.

“Dói mais chegar justamente em casa assim. Mas a situação é essa. Sempre tive mais sucesso na adversidade, então de repente é o ano”, falou Tony por fim. 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias IndyCar
Tipo de artigo Últimas notícias