Perda da vitória na última curva não desanima o líder Sato

Japonês da AJ Foyt esteve bem próximo da vitória, mas ficou feliz com "espetáculo" e liderança do campeonato

Sato deu show no Anhembi

Takuma Sato viveu sentimentos contraditórios ao final da corrida no Anhembi. Por um lado a frustração por ter perdido a vitória na última curva, após ser ultrapassado por James Hinchcliffe. Por outro lado, a felicidade por liderar o campeonato pela primeira vez, desde que chegou à Indy.
Com o segundo lugar conquistado no Anhembi, o piloto da AJ Foyt foi a 136 pontos no campeonato, após quatro provas e abriu 13 pontos para Marco Andretti, que agora está na vice-liderança.

“Acho que faz um pouco mais do que 10 anos que eu não lidero um campeonato, desde quando corria na F-3. A sensação é fantástica. Trabalhamos muito bem. Tivemos algumas dificuldades nas primeiras corridas, mas em Long Beach fizemos uma prova perfeita e aqui em São Paulo foi quase perfeita”, afirmou Sato após a corrida. O piloto mostrava mais felicidade pela liderança do que por ter perdido o primeiro lugar da prova.

“Claro que a vitória hoje seria melhor, perder a vitória na última curva, da última volta, não é algo bom, mas lutei muito hoje. E demos um show, acho que os fãs gostaram muito, mostramos como a Indy é competitiva. No final, Hinchcliffe fez uma manobra fantástica para cima de mim e não consegui segurar”, comentou o japonês, que revelou problemas de equipamento ao final da prova.

“Tive que lidar com várias dificuldades no final da prova. Nas últimas cinco voltas fiquei sem aderência nos pneus. Teria sido bom se a gente conseguisse terminar lado a lado com o James, mas não deu. De qualquer jeito mostramos todo o potencial”, comentou Takuma. Segundo o piloto, o fato de ter largado em 12º e ter precisado fazer muitas ultrapassagens durante a corrida foi responsável tanto por aumentar o desgaste dos pneus, quanto por acabar com seu push-to-pass. Na volta final, só Hinchcliffe ainda podia apertar o botão de ultrapassagem.

“Não teve jeito, precisei usar muito o push-to-pass no começo da prova e aí faltou no final. Não me arrependo, pelas circunstâncias eu precisava usar. Foi bem desafiador no final enfrentar tanto o Newgarden, quanto o Hinchcliffe, ambos com mais push-to-pass. As últimas voltas foram bem divertidas do ponto de vista do piloto”, afirmou.

Além deste segundo lugar, Sato já havia andado muito bem em 2012 no Anhembi, quando terminou em terceiro. Segundo ele, o traçado da prova paulistana é o maior responsável pelas emoções vistas pelo público neste domingo. “O traçado é fantástico e por isso fizemos um grande espetáculo hoje. Em 2010 tivemos um recorde de ultrapassagens, o que mostra que é uma pista ótima para ultrapassagens”, elogiou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias IndyCar
Tipo de artigo Últimas notícias