Rossi culpa Wickens por acidente na relargada em St. Pete

Norte-americano diz que canadense o fechou na entrada da primeira curva e fez o contato ser inevitável na disputa pelo 1º lugar

Com um final sensacional, o GP de São Petersburgo no último domingo (11) ficou marcado por um incidente muito polêmico a duas voltas do fim, durante a última relargada. Pole position, o canadense Robert Wickens, estreante, foi atacado pelo norte-americano Alexander Rossi, que saiu melhor da última curva.

Nenhum dos dois cedeu na disputa pela liderança e o toque foi inevitável. Wickens abandonou, enquanto, Sebastien Bourdais e Graham Rahal passaram Rossi, jogando o piloto da Andretti para terceiro na bandeirada.

"Normalmente, eles não permitem o push-to-pass nas relargadas, você deve fazer uma volta cronometrada antes de usa-lo, mas por causa da chamada atrasada para a bandeira verde, eles permitiram e eu recebi o aviso quando eu estava entre as curvas 13 e 14.”

"Então eu dei um grande salto em Rob e ele usou o push-to-pass muito tarde, então era uma oportunidade perfeita para mim. Indo para a curva 1, eu sabia que não haveria muitas outras oportunidades para mim, porque ele tinha um carro muito bom o dia todo e eles fizeram um excelente trabalho.”

"Então eu saí do vácuo, ele defendeu a posição – o que ele tem o direito de fazer – mas ao fazer, movendo-se em reação à minha manobra, ele me colocou na parte suja muito tarde na curva. É difícil controlar esses carros quando estamos deslizando, mesmo na linha normal. Então, ali foi difícil.”

"É super infeliz ver isso acontecer. Eu me sinto mal, porque acho que poderia ganhar e ele poderia ter sido o segundo. No entanto, foi um excelente trabalho da equipe durante todo o fim de semana. Eu acho que mostramos que tínhamos um carro que poderia se qualificar na frente ontem e nos recuperamos bem hoje."

Perguntado se ele sentiu que o fato de o Race Control não ter tomado nenhuma ação após o choque entre ele e Wickens foi uma reivindicação a seu favor sobre o incidente, Rossi respondeu: "sim, eles deixaram muito claro na reunião dos pilotos que a regra do bloqueio é que você não pode se mover em reação”.

"Se ele tivesse defendido por dentro inicialmente saindo da última curva ou mesmo no meio da reta, e eu ainda continuasse indo para dentro, então, sim, essa seria a minha decisão de colocar meu carro em perigo. Mas não havia motivo para não ficar ao lado dele.” 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias IndyCar
Evento St. Pete
Pista St. Petersburg Street Course
Pilotos Robert Wickens , Alexander Rossi
Tipo de artigo Últimas notícias