Viso detecta problema de companheiros brasileiros - a flatulência

Venezuelano diz que Tony Kanaan e Rubens Barrichello não se controlam e que o ar na garagem não é dos mais agradáveis

Rubens Barrichello e Tony Kanaan são amigos de longa data. Em poucos minutos com os dois, é possível notar uma relação verdadeira, uma irmandade como ambos costumam definir o contato.

Por causa de Kanaan, Barrichello testou nos Estados Unidos e abriu caminho para competir na F-Indy. Juntos, formam uma equipe unida. Porém, os brasileiros não são os únicos pilotos da KV Racing. Cabe ao venezuelano Ernesto Viso, ex-GP2, a tarefa engraçada, e às vezes ingrata, de dividir a garagem com Tony e Rubinho.

A reportagem do TotalRace entrevistava o venezuelano nesta sexta-feira no Anhembi, quando o repórter Estevan Ciccone, da rádio Bandeirantes, ao vivo, pediu a palavra e perguntou sobre como é ser companheiro dos dois pilotos brasileiros.

Com muito bom humor, Viso descreveu sua vida como a de um estudante que sofre com bullying diante de dois "colegas de classe" encapetados. "O maior problema dos dois é que eles peidam todo o dia. Passam o tempo na oficina peidando. Esse é o maior problema". Informado pelo repórter, que entrou no clima descontraído, que se trata de uma falta de educação dos dois pilotos, e não de todo o povo brasileiro, Viso completou: "Tenho de dizer isso porque cada vez que passam na oficina eles peidam."

Ainda que tenha alguns problemas aromáticos com os companheiros, Viso se diz em casa no país. "Certamente. Estar aqui em São Paulo é como estar em Caracas, a maneira de viver, a energia das pessoas, a comida é muito boa."

"O clima até aqui não foi o melhor, mas ele sempre traz algo divertido para os fãs e pilotos. Certamente, teremos mudanças de estratégias na corrida", finalizou Viso.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias IndyCar
Tipo de artigo Últimas notícias