Ex-rival de Senna no kart vê semelhanças entre brasileiro e Verstappen

compartilhar
comentários
Ex-rival de Senna no kart vê semelhanças entre brasileiro e Verstappen
Por: Ronald Vording , Writer
25 de set de 2018 11:11

Peter de Bruijn relembra conquista do mundial de kart que completou 38 anos e falou sobre características marcantes de brasileiro tricampeão mundial de F1

Peter de Bruijn agora é conhecido principalmente por ser treinador de grandes talentos como Kimi Raikkonen e Valtteri Bottas. Mas antes disso, ele também teve uma carreira como piloto. Na verdade, em 1980, ele venceu Ayrton Senna e conquistou o título mundial de kart. Após 38 anos, o Motorsport.com olha para trás e constrói a ponte para o presente.

"Bem, foi realmente nesta época do ano, mas não penso nisso todos os dias. Mais frequentemente penso em outras coisas", disse de Bruijn quando descobre que seu melhor momento como piloto foi há 38 anos.

Na cidade belga de Nivelles, o holandês ganhou o título mundial, mantendo Ayrton Senna para trás em uma batalha épica. Embora a consciência da data exata tenha desaparecido, Bruijn ainda se lembra de seu triunfo como se fosse ontem: da forte classificação, das falhas de seu kart durante as baterias e de sua impressionante ultrapassagem na final, até o pódio. "É o marco de sua carreira, vencer o campeonato mundial. Você nunca esquece isso."

Ótima pessoa dentro e fora da pista

Na época, Bruijn ainda não imaginava que se tornaria um ícone do kart holandês, enquanto seu grande rival, Senna, se tornaria uma lenda da Fórmula 1.

"Havia talvez dez verdadeiros pilotos na época, ele era um deles", diz quando relembra os anos do kart com Senna. "Mas não era como dizer: quando ele entra na pista, o resto poderia ficar em casa."

No entanto, Bruijn, de 61 anos, já via sinais de que Senna seria um fora de série. Suas classificações foram excelentes e ele tinha o enorme espírito de luta e vontade de vencer no início da carreira.

"Ele era muito duro. Era mais sobre nunca desistir. Senti que ele estava lesionado e eles realmente tiveram que levá-lo do kartódromo, mas ele queria correr a todo custo e nunca desistiu."

Bruijn lembra, acima de tudo, do lado humano. Segundo ele, Senna era um grande homem dentro e fora das pistas.

"Claro que ele era incrivelmente popular, eu nem acho que já existiu um piloto de Fórmula 1 tão popular como Senna. Isso foi certamente porque ele era uma pessoa muito boa, um cara muito legal".

"Depois, todos ouviram que ele tinha criado muitas coisas para as crianças no Brasil. Essas eram coisas que você não ouvia na época, mas depois de sua morte, ele acabou sendo uma pessoa ainda melhor do que se pensava."

No entanto, Bruijn também é a primeira pessoa a reconhecer que o enorme apoio de Senna não era apenas sobre seu caráter. A estrela brasileira deveu a seus milhões de fãs leais principalmente a suas performances impressionantes na pista.

"Claro que era algo realmente especial assisti-lo. O estilo de condução de Senna era agressivo e, portanto, atraente para assistir como fã. Quando você vê vídeos de sua volta de classificação em Mônaco em 1988 ou na chuva em Donington, ele era realmente diferente de qualquer outro piloto. Ele tinha um pouco mais de classe que todos os outros pilotos de Fórmula 1.”

Semelhanças entre Senna e Verstappen

Ao usar a palavra "talento", Bruijn constrói imediatamente a ponte até o presente. Olhando para a F1 atual, ele vê semelhanças entre Senna e Verstappen.

"Sempre acho difícil comparar os pilotos uns com os outros, todo mundo tem seu próprio estilo", continuou Bruijn. "Mas não é segredo que Max tem as características que Senna tinha: boa classificação, muito rápido e, claro, capaz de encontrar o soluções em circunstâncias difíceis, como foi no caso no Brasil em 2016.”

“É claro que Max terá sua própria carreira e nome, mas ele realmente tende nessa direção [de Senna]. Vamos torcer para que ele se torne campeão mundial.”

Como todos os seguidores da Fórmula 1, Bruijn percebe que realizar esse sonho com a Renault como fornecedora de motores será difícil, mas ele acha que com a Honda, as coisas vão melhorar significativamente para "um dos pilotos mais atraentes" da Fórmula 1.

"Eu mal posso imaginar que uma empresa como a Honda não terá sucesso. No passado, eles sempre estiveram lá e na McLaren o carro inteiro provavelmente não era bom o suficiente", ele involuntariamente faz um novo elo com Senna.

O brasileiro é até agora o último campeão mundial com um motor Honda, Verstappen espera sucedê-lo.

Próxima Kart matéria
Equipe de Rosberg fatura mundial de kart; Brasil vai ao pódio

Previous article

Equipe de Rosberg fatura mundial de kart; Brasil vai ao pódio

Next article

500 Milhas de Kart anuncia volta de categoria B

500 Milhas de Kart anuncia volta de categoria B
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1 , Kart
Autor Ronald Vording
Tipo de matéria Entrevista