Promessa brasileira do kart tem Vettel e Hamilton como ídolos

Caio Collet, terceiro colocado no Mundial de Kart na categoria KF-Júnior - colocando Brasil no pódio novamente após 17 anos de ausência, falou com exclusividade ao Motorsport.com sobre carreira e planos para futuro

No final de setembro, o piloto Caio Collet, de 13 anos, quebrou um jejum ‘mais velho’ do que ele mesmo: após 17 anos sem pilotos brasileiros no pódio do Mundial de Kart, Collet terminou em terceiro na categoria KF-Júnior e recolocou o Brasil entre os três primeiros no campeonato que reúne os melhores kartistas do planeta.

Após retornar ao Brasil, o piloto falou com exclusividade ao Motorsport.com e falou sobre o início da carreira, semelhante ao de Vitor Baptista – que lidera a EuroFormula Open – especialmente no local que gerou a ‘faísca’ para o começo da carreira: o kartódromo de Aldeia da Serra, em Barueri, que fica na região metropolitana de São Paulo.

No caso de Collet, no entanto, houve um ‘empurrão’ do pai, segundo o piloto. “Passei pelo kartódromo de Aldeia da Serra com o meu pai e ele me levou até o local para eu conhecer. Acho que ele fez de propósito, mas eu me interessei e então comecei a correr – isso aconteceu quando eu tinha seis anos”, disse.

Desde então, o jovem piloto conquistou títulos nacionais e regionais e, em 2015, disputou o Mundial de Kart pela primeira vez, conquistando um resultado expressivo. A rotina pesada de treinos e, especialmente, as viagens, acabam interferindo nos estudos, como revela Collet.

“É bem difícil, pois perco muito conteúdo das matérias com as viagens. A escola em que estudo tem me ajudado nessa questão e então consigo me sair bem em algumas matérias, mas em outras nem tanto. Esse ano foi o primeiro que eu acabei ficando de recuperação em português, mas acho que não vou repetir”

De 2016 em diante, a situação escolar deve se complicar ainda mais, pois o piloto pretende focar na disputa de campeonatos de kart na Europa no próximo ano e depois migrar para os monopostos. Consciente da dificuldade de chegar à F1, o paulista coloca outra opção na mesa.

“Ano que vem deve ser mais complicado (em relação aos estudos). Continuo no kart, mas vou focar na Europa e disputarei poucas corridas no Brasil. Depois, a ideia é seguir para os monopostos até chegar na F1. Gosto muito do DTM, também é uma possibilidade”

Por ser muito jovem, a resposta de Collet quando questionado sobre quem ele tem como ídolos no automobilismo apresentou os nomes que tem dominado a F1 nos últimos anos. O passado, no entanto foi destacado pelo piloto. “Gosto muito do Sebastian Vettel e do Lewis Hamilton. Do passado, gosto do Ayrton Senna”, completou o mais recente talento do Brasil nas pistas.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Kart
Tipo de artigo Entrevista