Serra, sobre 24H de Le Mans: “Não dá para criar expectativa”

compartilhar
comentários
Serra, sobre 24H de Le Mans: “Não dá para criar expectativa”
Bruno Ferreira
Por: Bruno Ferreira
13 de jun de 2018 17:47

Atual campeão da classe GTE Pro, brasileiro defende título em equipe diferente, mas pondera que ainda é cedo para traçar previsões

Vencedor das 24 Horas de Le Mans na classe GTE Pro em 2017, Daniel Serra retorna ao circuito francês para defender sua coroa. Porém, desta vez em equipe diferente, o brasileiro admite que o equilíbrio da categoria impossibilita qualquer previsão a respeito. 

No ano passado, Serra triunfou na classe pela Aston Martin, ao lado de Jonny Adam e Darren Turner. Para 2018, o atual campeão e líder da Stock Car estará a bordo da Ferrari 488 GTE EVO da AF Corse, com companhia de James Calado e Alessandro Pier Guidi.

Em entrevista ao Motorsport.com Brasil em Le Mans, Serra evitou traçar prognósticos para uma prova de natureza imprevisível. “Fiz alguns testes já – testamos em Monza, em Spa, o teste aqui [Le Mans] de duas semanas atrás. Estou me adaptando, já que são carros completamente diferentes – já guiei esse carro antes, em 2016.” 

“Estou animado. É uma corrida que não dá para criar muita expectativa, é uma corrida muito difícil. Muita coisa pode acontecer, a semana é muito longa. Temos que ir aos poucos, mas estamos animados e finalmente vamos andar”, acrescentou.

Ao comparar a tocada do Aston Martin com o Ferrari, Serra observou: “A distribuição de peso é bem diferente, são pneus diferentes – ano passado eu andava de Dunlop e neste estou de Michelin. As reações são diferentes, a sensação é muito diferente. São bons carros, mas com jeitos diferentes, e no fim é um carro de corrida, então não é um bicho de sete cabeças.” 

A fim de estar no páreo por mais uma vitória, Serra cita a importância de construir uma corrida consistente, sem contratempos graves. “Em Le Mans, é muito difícil de recuperar uma volta. Não é igual a Daytona, em que você tem aquele wave by. Você tem que estar competitivo, sempre no pelotão da frente, e o mais importante é fazer uma corrida bem feita, executando tudo o que foi planejado, sem erros, com bons pitstops, e chegar lá no final, nas últimas cinco, três horas na briga.”

Próxima Le Mans matéria
VÍDEO: Conheça o museu de Le Mans

Previous article

VÍDEO: Conheça o museu de Le Mans

Next article

Nasr comemora “oportunidade única” na estreia em Le Mans

Nasr comemora “oportunidade única” na estreia em Le Mans

Sobre esta matéria

Categoria Le Mans
Evento 24 Horas de Le Mans
Localização Circuit de la Sarthe
Autor Bruno Ferreira
Tipo de matéria Últimas notícias