Análise: Como Márquez dominou corridas 'flag-to-flag'

compartilhar
comentários
Análise: Como Márquez dominou corridas 'flag-to-flag'
Oriol Puigdemont
Por: Oriol Puigdemont
Traduzido por: Gabriel Carvalho
8 de ago de 2017 20:59

Após desclassificação no GP da Austrália de 2013, Marc Márquez venceu cinco das seis corridas disputadas no formato; confira a análise

Marc Marquez, Repsol Honda Team, wins
Marc Marquez, Repsol Honda Team
Marc Marquez, Repsol Honda Team
Marc Marquez, Repsol Honda Team
Marc Marquez, Repsol Honda Team
Race winner Marc Marquez, Repsol Honda Team
Marc Marquez, Repsol Honda Team
Marc Marquez, Repsol Honda Team
Marc Marquez, Repsol Honda Team

GP da Austrália de 2013, ano de estreia de Marc Márquez na MotoGP. O espanhol disputava o título - acabaria sendo campeão naquele ano - mas a corrida em Phillip Island teve complicações para o piloto da Honda.

A pista australiana havia sido recapeada para a prova daquele ano e pegou a Bridgestone de surpresa. Com o alto nível de desgaste dos compostos, a direção de prova decidiu por uma corrida 'flag-to-flag', com os pilotos sendo obrigados a entrar nos boxes entre a nona e a décima volta da disputa.

Márquez liderava a prova, mas simplesmente não entrou nos boxes dentro da janela estipulada, indo aos pits na 11ª volta. Como resultado, o espanhol foi desclassificado da prova.

Entretanto, o episódio marcou o ponto da virada para Márquez e para a equipe do piloto, chefiada por Santi Hernandez. Desde 2013, foram disputadas seis corridas 'flag-to-flag' e o espanhol venceu cinco delas: Assen em 2014, Misano em 2015, Argentina e Sachsenring em 2016 e no último final de semana, em Brno.

A única prova que Márquez não venceu neste formato foi a de Aragon, em 2014, vencida por Jorge Lorenzo. O piloto da moto #93 cruzou a linha de chegada em 13º após sofrer uma queda.

Entre as vitórias, as mais impactantes foram as do último domingo e a em Sachsenring em 2016. Nos dois casos, Márquez soube administrar uma situação complicada enquanto pilotava a moto acertada para a pista molhada, entrando antes de todos para os boxes para pegar a moto de pista seca.

Em Brno, a Ducati não tinha as motos de Jorge Lorenzo e Andrea Dovizioso prontas quando ambos entraram nos boxes. O mesmo aconteceu com Jonas Folger, que entrou junto com Márquez nos boxes, mas perdeu uma grande chance de conquistar um bom resultado pelos mesmos motivos que atrapalharam Lorenzo e Dovizioso.

Márquez, por outro lado, sabia que a segunda moto estaria pronta para ele desde a largada, pois Hernandez garantiu isso a ele.

“Aprendemos muito com a corrida na Austrália em 2013 e o mais importante é que não cometamos aquele erro novamente", disse Márquez. "O segredo é ter pessoas ao seu lado nas quais você pode confiar."

"Antes de começar a prova, Santi me disse que a moto estaria pronta e que eu poderia trocar quando quisesse. Se alguém em que você confia te diz que sua moto estará pronta, você sabe que estará, afirmou.

Com a vitória em Brno, Márquez abriu 14 pontos sobre Maverick Viñales na classificação do campeonato - antes do GP da Itália, em junho, o piloto da Honda estava a 37 do compatriota.

“Uma das razões do meu esforço é a minha equipe, todos eles dão 100%", acrescentou. "Quando você volta à pista depois das férias, é obrigatório estar no nível máximo."

"Nestas circunstâncias, levando em consideração o que aconteceu desta vez em outros boxes, pilotos e mecânicos têm o mesmo nível de importância", completou.

Próxima MotoGP matéria
Rossi descarta uso de nova carenagem na Áustria

Previous article

Rossi descarta uso de nova carenagem na Áustria

Next article

Pol Espargaró: KTM pode ir ao Q2 em condições normais

Pol Espargaró: KTM pode ir ao Q2 em condições normais
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria MotoGP
Evento GP da República Tcheca
Localização Brno Circuit
Pilotos Marc Marquez Shop Now
Equipes Repsol Honda Team
Autor Oriol Puigdemont
Tipo de matéria Análise