Antes de pódio, Iannone estava “prestes a explodir de raiva”

compartilhar
comentários
Antes de pódio, Iannone estava “prestes a explodir de raiva”
Jamie Klein
Por: Jamie Klein
25 de abr de 2018 15:35

Italiano agradece pessoas que ficaram a seu lado e destaca reunião com chefe de mecânicos como ponto da mudança

Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP
Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP
Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP, Maverick Viñales, Yamaha Factory Racing
Maverick Viñales, Yamaha Factory Racing, Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP, Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP
Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP
Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP leads
Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP
Podium: Andrea Iannone, Team Suzuki MotoGP

Depois de chegar em terceiro no GP das Américas, botando fim em uma seca de pódios que durava desde sua última corrida na Ducati, em 2016 em Valência, Andrea Iannone festejou bastante o bom resultado.

Ele admitiu que o ano passado foi difícil para ele, e que estava ansioso para agradecer aqueles que ficaram a seu lado depois de alcançar seu resultado no Circuito das Américas.

"Eu era mais forte do que todas as coisas ruins que as pessoas me diziam", disse ele.

"Durante o último ano e meio tem sido muito difícil ser Andrea Iannone. 2016 foi um ano positivo, porque todos tinham expectativas muito altas de mim. É claro que isso é bom, mas se você não consegue enfrentar tudo e decepciona as pessoas, é como um bumerangue."

"Eu levei todas as críticas por tanto tempo, e estava prestes a explodir de raiva. Então, tenho que agradecer a todas as pessoas próximas a mim e que sempre me apoiaram."

"Eles me criticaram muito, mas eu não parei de acreditar em mim mesmo. Sempre acreditei no meu potencial."

Iannone também revelou que uma reunião na Itália com seu engenheiro, Marco Rigamonti, ajudou a limpar o ar entre os dois após uma decepcionante sequência de resultados com a Suzuki.

"Houve um período durante o qual precisávamos resetar tudo", explicou ele.

"Eu tive uma reunião na Itália com meu engenheiro, Marco Rigamonti, porque estávamos vivendo um momento que não era positivo para nenhum de nós. Acho que foi útil e que foi bom confrontar um ao outro, homem a homem, porque levou a algo construtivo. Estamos de volta onde sempre quisemos estar.”

"Não será fácil ficar aí durante todo o ano, mas continuaremos trabalhando para isso."

Apesar do pódio, a posição de Iannone dentro da Suzuki ainda está em risco, com Jorge Lorenzo como principal alvo da marca Hamamatsu para alinhar ao lado de Alex Rins em 2019. Iannone afirmou anteriormente que tem chances em outros lugares do paddock da MotoGP, mesmo que sua primeira preferência seja ficar onde está.

Reportagem adicional por Matteo Nugnes

Próxima MotoGP matéria
Crutchlow: “Não sou mais um piloto de 6º lugares”

Previous article

Crutchlow: “Não sou mais um piloto de 6º lugares”

Next article

Rossi comenta situação difícil de Lorenzo: “passei por isso”

Rossi comenta situação difícil de Lorenzo: “passei por isso”
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria MotoGP
Evento GP das Américas
Localização Circuit of the Americas
Pilotos Andrea Iannone Shop Now
Equipes Team Suzuki Ecstar MotoGP
Autor Jamie Klein
Tipo de matéria Últimas notícias