Após recorde de velocidade, Ducati busca aderência em curvas

Time de Borgo Panigale quer chegar ao nível de aderência da Yamaha nas curvas para poder aproveitar a vantagem nas retas e superar a rival japonesa.

Após apresentar um bom ritmo no GP do Catar, prova de abertura da temporada 2016 - com Andrea Dovizioso terminando em segundo lugar - a Ducati busca mais avanços para bater a Yamaha nas próximas corridas.

Andrea Iannone, que andou na frente em dois dos treinos livres e sofreu uma queda na corrida quando estava em segundo lugar, estabeleceu o novo recorde de velocidade da categoria: 351.2 km/h no final da reta dos boxes de Losail.

Tendo reconhecidamente a velocidade de reta como vantagem, agora a Ducati busca reduzir a desvantagem em relação aos rivais da Yamaha no contorno de curvas.

“Começamos bem e isso é bastante positivo. Em um campo que disputamos com Yamaha e Honda, nós nos mostramos muito fortes e sabíamos o que esperar. Viu nossa velocidade de reta?", disse Paolo Ciabatti, diretor esportivo da Ducati, ao Motorsport.com.

“A Michelin mudou bastante, vimos isso entre os treinos livres e a corrida, então não sabemos direito o que esperar nas próximas corridas. Mas temos algumas ideias para melhorar a moto, que ainda não tem o mesmo nível de aderência nas curvas se comparada à Yamaha", afirmou.

Top speeds

A Ducati está no centro das especulações do mercado de pilotos no momento, com Jorge Lorenzo ainda em situação indefinida em relação a permanecer ou não na Yamaha para 2017.

Ciabatti ressalta, entretanto, que a Ducati não precisa provar nada a ninguém para atrair um piloto de ponta. "Temos que estabelecer metas ambiciosas, mas posso dizer que os pilotos já têm uma ideia precisa da competitividade da Ducati", encerrou.

Reportagem adicional por Lena Buffa

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Pilotos Andrea Dovizioso , Jorge Lorenzo , Andrea Iannone
Equipes Ducati Team
Tipo de artigo Últimas notícias