Audi descarta ideia de vender Ducati

Rupert Stadler, CEO da Audi, diz que não está em seus planos se desfazer da marca italiana, como havia sido especulado meses atrás

Em 2012 a Ducati foi comprada pela Audi por 860 milhões de euros. Assim, a marca de Borno Panigale passava a fazer parte do grupo Volkswagen. Dentro do acordo se incluiu que os alemães assumiriam a dívida dos italianos, que tinham um passivo de cerca de 200 milhões de euros.

No entanto, após o escândalo do Dieselgate, o grupo alemão foi muito afetado financeiramente e até se especulou sobre a venda da Audi para obter liquidez, já que eles foram forçados a pedir um crédito de 20 bilhões de euros.

A Ducati contribuiu com um lucro de 51 milhões de euros em 2016, após atingir um valor recorde de vendas de 593 milhões de euros, e estima-se que seu valor seja de cerca de 1,5 bilhões de euros.

"Posso garantir que Ducati pertence à família Audi", disse Rupert Stadler. "Estamos gradualmente aumentando nossa margem financeira e organizacional para realizar um reajuste estratégico".

A notícia vem em um dos melhores momentos da Ducati, tanto esportiva como comercialmente. No nível de vendas, eles continuam a consolidar-se na Europa, enquanto se expandem em outros mercados como os Estados Unidos e Ásia.

No campo de esportes, a Ducati completou uma de suas melhores temporadas na MotoGP, conquistando o vice-campeonato e seis vitórias com o Jorge Dovizioso - o mesmo que o campeão Marc Márquez. Além disso, em 2018 será a marca mais representada na categoria principal, com oito motos. No WorldSBK, eles também terminaram em segundo lugar no mundo com Chaz Davies, sendo o único fabricante capaz de enfrentar a supremacia que Kawasaki e Jonathan Rea exerceram.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Tipo de artigo Últimas notícias