Austin trabalha para reduzir ondulações para MotoGP

Após ser alvo de críticas dos pilotos no último ano, Circuito das Américas tenta se modernizar para etapa de 2018

A pista de Austin está trabalhando para melhorar a fluidez de seu asfalto, criticada amplamente pelos pilotos no ano passado. O autódromo irá sediar a terceira etapa da MotoGP, no dia 22 de abril.

Alguns culpam a Fórmula 1 pelo problema, já que o campeonato também faz corridas nos Estados Unidos no Circuito das Américas. Os carros de alto downforce tendem a criar ondulações no asfalto, o que torna a vida mais difícil para as motos.

Antes da corrida deste ano, os organizadores do evento estão tentando reduzir às deficiências na pista com o uso de caminhões trituradores, com foco nos dois primeiros setores, das curvas 1 até a 12.

“Três pontos da pista exigem melhorias. Mas se eles fizerem, eles têm que fazer corretamente", disse Valentino Rossi na corrida do ano passado.

"Nós já reclamamos disso há alguns anos e eles fizeram alguns trabalhos, mas não da maneira correta. Eles têm que se concentrar nas áreas onde as imperfeições são maiores."

Dani Pedrosa acrescentou: “na reta oposta, é difícil controlar a moto e quando você chega lá está a 300 km/h”.

"É importante que eles façam algo para consertar isso, porque se as coisas piorarem, será muito difícil de pilotar."

Tradução por Irene Aneas

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Evento GP das Américas
Pista Circuit of the Americas
Tipo de artigo Últimas notícias