Barros exalta dedicação de Rossi: “é incrível o que ele faz”

Brasileiro revela que italiano passou a treinar muito mais depois de velho: “na minha época ele não treinava e na corrida dava tudo certo”

De volta as competições aos 46 anos de idade no Superbike Brasil, Alexandre Barros tem um bom parâmetro para julgar Valentino Rossi. O italiano, presente desde 2000 na principal categoria do motociclismo mundial, completou 38 anos em 2017 e ainda tem mais um ano de contrato com a Yamaha para correr em 2018.

Fazendo o que muitos achavam impossível, Rossi foi vice-campeão nos três últimos anos e atualmente ocupa a vice-liderança do mundial apenas 14 pontos atrás do companheiro Maverick Viñales de 22 anos de idade.

Para Barros, o esforço feito por Rossi é impressionante.

“Vou falar: é incrível o que ele faz”, disse ao Motorsport.com.

“Com 38 anos de idade é bem complicado. É que ele não parou de correr como eu, ele se reinventou. Se você comparar o estilo que ele tinha na época que andava comigo do que ele tem hoje, mudou muito.”

“Eu sinto na pele: ensinar burro velho é mais difícil. Esse estilo do (Marc) Márquez funciona bem, já treinei bastante na casa do Sete (Gibernau, ex-piloto da MotoGP e amigo de Barros) na Espanha. Eu consegui baixar dois segundos do meu tempo indo do estilo velho para o estilo atual. Na hora que eu acertei, fui muito bem. Funciona bem realmente, mas é difícil a cabeça fazer tudo certo sempre.”

Perguntado sobre se Rossi pode bater Viñales pelo título, Barros diz que o italiano pode surpreender como tem feito neste últimos anos.

“Ele pode desafiar o Viñales. Ele está fazendo isso.”

“No Catar ele largou em décimo e ficou a corrida inteira perto dele. Ele está com aquela dificuldade dos treinos. No ano passado ele estava melhor. Em 2015, ele também estava assim, sempre aparecia melhor nas provas. Pois é, saiu um piloto complicado e entrou outra carne de pescoço.”

Ainda questionado se Rossi poupa energias em treinos e fora da pista para poder dar tudo nas provas, Alexandre negou.

“Não, ele treina muito mais do que quando corria comigo. Já fui ver lá no rancho dele.”

“Ele treina muito com os meninos. Na minha época ele não treinava assim. Ele era o cara que não treinava e na corrida dava tudo certo. Eu treinava muito mais. Hoje ele treina muito, está muito dedicado.”

“Sabe o que vejo nele? Parece um garoto começando a correr com aquele sonho. Ele voltou a ser ele quando tinha 14 ou 15 anos. Ele está fazendo porque ele quer, e isso é uma arma muito poderosa.”

Má fase de Lorenzo

Barros se surpreendeu negativamente com o início de Jorge Lorenzo na Ducati. O piloto espanhol conseguiu apenas um 11º lugar como melhor resultado em duas provas, e ocupa no momento o 18º lugar no mundial de pilotos.

“Eu achei que ia ser menos difícil para ele”, disse.

“Não estou falando que ele ia ser primeiro. Achei que fosse estar em quinto, ou quarto, por aí.”

“Está sendo mais complicado. Ele precisa recuperar. Mas vamos esperar, porque acho que estava faltando um piloto pesado como ele para a Ducati.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Tipo de artigo Últimas notícias