Crutchlow se preocupa com asas: “imagine se cortar alguém”

Britânico não nega ganho de performance com downforce dianteiro, mas prefere que FIM proíba novos apêndices

Após o primeiro dia de treinos para o GP do Catar, o britânico Cal Crutchlow declarou que se preocupa com algo que pode se tornar um problema de segurança na MotoGP: as novas asas. Usadas por Ducati e Yamaha e até a Mahindra na Moto3, elas podem oferecer riscos aos pilotos na opinião do britânico da LCR Honda.

"Metade de mim não quer dizer nada, porque talvez nós precisemos delas - se ajudam realmente", brincou Crutchlow.

"Mas imagine se isso abre a perna de alguém?”

"Eles também dizem que a asa quebra antes de ferir alguém. Mas como é que eles sabem? Será que eles já testaram?”

"Eles são radicais, mas está nas regras. Eu estou mais preocupado com o fato de cortar alguém.”

"Isso também pode acontecer com um protetor de alavanca de embreagem ou o protetor de freio. Mas eles não vão proibir isso, com certeza."

Quando perguntado se ele achava que as asas deveriam ser proibidas no final desta temporada, Crutchlow respondeu: "seria no final deste ano. E se alguém se cortar antes disso?”

"Mas se eu andasse de Ducati, ia querer as asas. Qualquer coisa para ter uma vantagem."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Evento GP do Catar
Pista Losail International Circuit
Pilotos Cal Crutchlow
Equipes Yamaha Factory Racing , Ducati Team , Repsol Honda Team , Team LCR
Tipo de artigo Últimas notícias