Depois de destruir concorrência, Márquez é cético quanto ao ritmo

compartilhar
comentários
Depois de destruir concorrência, Márquez é cético quanto ao ritmo
Por: Gabriel Lima
25 de abr de 2014 18:14

Espanhol diz que não sabe por que encontra o limite tão rápido em pistas novas; Pedrosa afirma que estará mais perto amanhã

Assim como no Texas, há duas semanas, Marc Márquez arrasou a concorrência no primeiro dia de treinos na Argentina. O piloto da moto #93 colocou mais de um segundo no rival mais próximo, o companheiro de equipe Dani Pedrosa, e prevê boa melhora das condições do circuito de Termas de Río Hondo de hoje para amanhã, na classificação.

“Estou muito feliz com o segundo treino livre especialmente. No primeiro treino tivemos dificuldades, mas também o sacrificamos um pouco porque não colocamos pneus novos. Aqui não havia razão para isso”, disse o piloto, que foi apenas o 14º na primeira sessão com o melhor tempo registrado na terceira volta de 20.

“Depois de duas voltas o pneu ficava totalmente destruído. Mas agora, no segundo treino livre, tudo melhorou. Os tempos foram três segundos mais rápidos, então estou muito feliz. A moto está boa com os pneus.”

“Acho que durante o fim de semana tudo irá melhorar, e a cada vez que andamos sentimos que a pista melhora sempre.” 

Mesmo sem condições perfeitas no asfalto, o piloto já se sente confiante para dar seus famosos 'powerslides'. “Já estou derrapando bastante na pista. No momento a pista não está perfeita, a aderência é normal, mas não como Austin, claro. Vamos melhorar durante o fim de semana e acho que os tempos ficarão mais próximos.”

“Temos que estar atentos, porque amanhã tudo muda e a aposta nos pneus pode mudar. Em Austin foi mais significativa a vantagem no primeiro dia, aqui a pista não estará a mesma amanhã.”

Questionado sobre o porquê se adapta tão bem a pistas novas, o piloto de 21 anos afirmou não saber a resposta exata. “Quando vamos a uma nova pista encontramos o limite rápido, não consigo explicar por quê. Só faço meu melhor às quintas com a scooter e daí com a moto tento encontrar o limite. Às vezes saio da pista, mas é meu jeito de encontrar o limite. Para amanhã espero melhorar a consistência.”

Dani Pedrosa foi o segundo mais rápido, mas não vê o dia com grande satisfação após ficar mais de um segundo atrás do parceiro na Repsol Honda.

“Fora do traçado é impossível de ir, mas tudo está melhorando e espero que possamos rapidamente ir começando a ser velozes. Os pneus começaram a se comportar melhor. Esperamos melhorar amanhã conhecendo mais a pista, espero que esteja um pouco mais limpa. Nossos pneus já estão funcionando.”

“Impossível dizer qual o melhor pneu no momento. A cada vez que colocamos um pneu diferente melhoramos nossos tempos. Amanhã à tarde vamos ter isso mais claro, mas ambos os pneus funcionam.”

Questionado de por que seu companheiro foi tão veloz à sua frente, Pedrosa  diz que amanhã estará bem mais próximo do parceiro. “Ele foi muito rápido nesta tarde ante a todos os outros, mais rápido na maneira de pilotar. Mas isso é só um treino.”
Próxima MotoGP matéria
Sobrando, Márquez encerra primeiro dia na Argentina na liderança

Previous article

Sobrando, Márquez encerra primeiro dia na Argentina na liderança

Next article

Apenas em oitavo, Rossi aposta em clima mais quente para melhorar amanhã

Apenas em oitavo, Rossi aposta em clima mais quente para melhorar amanhã
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria MotoGP
Autor Gabriel Lima
Tipo de matéria Últimas notícias