Dez conclusões após testes da MotoGP em Sepang

Com final das primeiras sessões de testes de pré-temporada em Sepang, Oriol Puigdemont apresenta primeiras considerações sobre a temporada 2016 da MotoGP

A pré-temporada da MotoGP começou oficialmente na última segunda-feira (1), em Sepang. Durante três dias, pilotos e equipes estiveram no circuito malaio para experimentar as novidades para 2016 - pneus Michelin e centralina padrão - além, claro das novas motos para a disputa do campeonato (exceto a Aprilla, que andou com o equipamento de 2015).
 
Após as atividades na Malásia, Oriol Puigdemont, repórter do Motorsport.com, fez uma lista de dez conclusões que podem ser tiradas dos primeiros trabalhos para a temporada 2016 da MotoGP. Confira:

1. Yamaha à frente das rivais

Isso pode ser provado pelo desempenho de Jorge Lorenzo e Valentino Rossi, que dominaram os testes do começo ao fim. O fato de que as 14 voltas mais rápidas dos três dias de testes foram registradas pela dupla é a prova maior da superioridade da marca japonesa no início da pré-temporada.

2. Lorenzo segue em alta

O título conquistado na temporada passada, especialmente da forma como aconteceu, elevou a moral do espanhol, que se mostra mais confiante do que nunca. Mesmo em uma pista na qual ele nunca venceu, Lorenzo estabeleceu o melhor ritmo sem precisar se esforçar.

Segundo o atual campeão, o retorno da Michelin o beneficia significativamente - o que pôde ser visto nos tempos de volta e no comportamento do piloto da Yamaha.

3. Rossi na busca por respostas

O modo como Rossi aborda a temporada é o mesmo do ano passado: não cometer erros e observar o que os rivais fazem. A performance do italiano no primeiro terço da temporada será, provavelmente, o fator determinante para a decisão de seguir na MotoGP ou se aposentar da categoria.

4. Honda segue ignorando o feedback dos pilotos

Marc Marquez e Dani Pedrosa sofreram na temporada passada com o excesso de potência do motor e, com a nova centralina padrão, a situação piorou. A Honda, fiel aos princípios de não priorizar o feedback dos pilotos, parece não ter dado ouvidos às recomendações de Marquez e Pedrosa.

A questão agora é saber se a eletrônica padrão conseguirá domar este 'touro bravo'. "Há a possibilidade de chegarmos ao Catar sem estarmos totalmente preparados", disse Marquez.

5. Stoner está pronto para correr

Um par de dias foi o suficiente para perceber que, se Casey Stoner decidir correr novamente, levará pouco tempo para que ele se torne competitivo. No momento, ele nega que voltaria, mas a Ducati deixou claro que ele possui carta branca para tal.

Apesar de ter andado somente com a moto de 2015, Stoner deixou Sepang como o piloto mais veloz da Ducati, com 2min01s070. O australiano só retorna à pista no Catar, quando participa de uma sessão privada de testes - lá, espera-se que Stoner finalmente ande com a Desmosedici GP16. 

6. Situação desconfortável na Ducati

A marca italiana contratou Stoner como uma isca para fisgar algum dos pilotos de ponta. O interesse de Lorenzo é recorrente, mas Marquez também pode ser um dos alvos, especialmente se levarmos em consideração os problemas da nova Honda. Andrea Dovizioso e Andrea Iannone começam a ficar incomodados com toda a atenção que o time tem dado a Stoner.

7. Equipes satélite mais distantes

O retorno da Michelin e a introdução da centralina eletrônica padrão fez com que as fabricantes focassem a maior parte do trabalho nas equipes oficiais. Se a Honda tivesse permitido que as equipes satélite testassem o motor de 2016, seria algo desnecessário, que somente realçaria as dificuldades enfrentadas pelos japoneses.

8. Michelin fez a lição de casa...

Os testes de pós-temporada em Valência geraram certa preocupação entre os pilotos. Muitas quedas foram vistas e a explicação era sempre a mesma: "Você é pego de surpresa pelo pneu dianteiro. Quando você se dá conta, já caiu". Em Sepang, a Michelin mostrou que fez a lição de casa e disponibilizou uma série de compostos com mais aderência na dianteira.

9. ...Mas precisa esclarecer as causas do acidente de Loris Baz

A Michelin se sairá bem se explicar as causas do acidente o mais breve possível e de maneira precisa o que levou ao estouro do pneu traseiro da moto de Baz nos testes de terça-feira (2). As consequências poderiam ter sido horríveis, dizer que houve um problema na pressão dos pneus não é o suficiente.

10. Phillip Island vai proporcionar um cenário mais claro das forças

Na Austrália, será possível ver com mais clareza como está a Yamaha em relação às rivais. Se Rossi e Lorenzo dominarem novamente, ficará claro que eles chegarão ao Catar como favoritos ao título novamente.

Será também em Phillip Island que os dois decidirão qual moto utilizarão: se a versão que mescla partes da moto de 2015 com a nova ou se a de 2016. Também poderemos ver se a Honda resolverá o problema do controle da potência usando a eletrônica padrão.

A Ducati, definitivamente, focará na GP16, enquanto a Suzuki seguirá trabalhando com os modelos de 2015 e 2016, tentando adaptar os dois modelos à centralina e aos câmbio seamless.

Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing

Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
1/25

Photo by: Yamaha MotoGP

Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing

Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
2/25

Photo by: Yamaha MotoGP

Marc Marquez, Repsol Honda Team

Marc Marquez, Repsol Honda Team
3/25

Photo by: Repsol Media

Dani Pedrosa, Repsol Honda Team

Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
4/25

Photo by: Repsol Media

Aleix Espargaro, Team Suzuki MotoGP

Aleix Espargaro, Team Suzuki MotoGP
5/25

Photo by: Suzuki MotoGP

Maverick Viñales, Team Suzuki MotoGP

Maverick Viñales, Team Suzuki MotoGP
6/25

Photo by: Suzuki MotoGP

Casey Stoner, Ducati Desmosedici GP15

Casey Stoner, Ducati Desmosedici GP15
7/25

Photo by: Ducati Corse

Andrea Iannone, Ducati Team

Andrea Iannone, Ducati Team
8/25

Photo by: Ducati Corse

Andrea Dovizioso, Ducati Team

Andrea Dovizioso, Ducati Team
9/25

Photo by: Ducati Corse

Loris Baz, Avintia Racing

Loris Baz, Avintia Racing
10/25

Photo by: Andrew Wheeler

Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing

Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
11/25

Photo by: Yamaha MotoGP

Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing

Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
12/25

Photo by: Yamaha MotoGP

Marc Marquez, Repsol Honda Team

Marc Marquez, Repsol Honda Team
13/25

Photo by: Repsol Media

Dani Pedrosa, Repsol Honda Team

Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
14/25

Photo by: Repsol Media

Casey Stoner, Ducati Desmosedici GP15

Casey Stoner, Ducati Desmosedici GP15
15/25

Photo by: Ducati Corse

Marc Marquez, Repsol Honda Team

Marc Marquez, Repsol Honda Team
16/25

Photo by: Repsol Media

Tito Rabat, Marc VDS Racing

Tito Rabat, Marc VDS Racing
17/25

Photo by: Marc VDS

Casey Stoner, Ducati Team watches testing

Casey Stoner, Ducati Team watches testing
18/25

Photo by: Ducati Corse

Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing

Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
19/25

Photo by: Yamaha MotoGP

Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing

Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
20/25

Photo by: Yamaha MotoGP

Casey Stoner, Ducati Team

Casey Stoner, Ducati Team
21/25

Photo by: Ducati Corse

Marc Marquez, Repsol Honda Team

Marc Marquez, Repsol Honda Team
22/25

Photo by: Repsol Media

Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing

Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
23/25

Photo by: Yamaha MotoGP

Aleix Espargaro, Team Suzuki MotoGP

Aleix Espargaro, Team Suzuki MotoGP
24/25

Photo by: Suzuki MotoGP

Dani Pedrosa, Repsol Honda Team

Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
25/25

Photo by: Repsol Media
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Evento Teste de fevereiro em Sepang
Pista Sepang International Circuit
Pilotos Valentino Rossi , Jorge Lorenzo , Casey Stoner , Dani Pedrosa , Marc Marquez
Equipes Yamaha Factory Racing , Ducati Team , Repsol Honda Team
Tipo de artigo Análise