Engenheiro de pista de Lorenzo não o seguirá na Honda

compartilhar
comentários
Engenheiro de pista de Lorenzo não o seguirá na Honda
Oriol Puigdemont
Por: Oriol Puigdemont
Traduzido por: Daniel Betting
29 de jun de 2018 18:58

Jorge Lorenzo non potrà contare sul suo attuale capo tecnico in Ducati, Cristian Gabarrini, per una decisione presa dalla Honda. Ma saranno davvero tanti i movimenti dei tecnici nel 2019.

Gabarrini, Jorge Lorenzo, Ducati Team
Maverick Viñales, Yamaha Factory Racing
Jorge Lorenzo, Ducati Team
Ramon Forcada, Yamaha Factory Racing
Press Conference, Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Wilco Zeelenberg, Yamaha Factory Racing
Jorge Lorenzo, Ducati Team

Assen (Holanda) - Na próxima temporada, Jorge Lorenzo deixará a Ducati para pilotar pela equipe oficial da Honda, onde terá um novo engenheiro de pista. A informação foi confirmada após declarações do piloto nesta quinta-feira em Assen.

"Nesse caso, não é algo que depende de mim que (Gabarrini) possa me acompanhar. No ano que vem, não terei o poder de decisão que tive em outras temporadas, e será mais uma questão de meu próximo time", disse em referência ao fato de que a Honda vai designar quem ocupará a posição.

Com o mercado de pilotos para a temporada de 2019 praticamente fechado, enquanto se aguarda a assinatura de Dani Pedrosa com a Yamaha, nesta segunda metade do ano, viveremos um intenso movimento de engenheiros de pista entre os melhores pilotos.

O que está na boca de todos, basicamente porque Maverick Viñales comentou em mais de uma ocasião, é que Ramón Forcada deve deixar o box da Yamaha. A dissolução da dupla, depois de duas temporadas, parece inevitável.

Leia também:

Neste sentido, se especula uma oferta de Viñales para aquele que foi seu chefe de mecânicos nos tempos de Suzuki, o argentino José Manuel Cazeaux, atualmente integrante do time de Álex Rins. Se as negociações prosperarem, Rins e Suzuki devem procurar um substituto.

No que diz respeito Lorenzo na Honda, agora a aposta mais lógica é Ramón Aurín, engenheiro da HRC por muitos anos, que tem estado no box com pilotos como Andrea Dovizioso e Dani Pedrosa, que também trabalhou com Jack Miller na Marc VDS, e que atualmente trabalha com Takaaki Nakagami na LCR. Aurín é um dos engenheiros mais confiáveis da HRC.

Já nova equipe satélite da Yamaha que está sendo criada, e que terá, se tudo terminar bem, Pedrosa e Franco Morbidelli, deverá nomear o holandês Wilco Zeelenberg - que era o treinador Lorenzo e foi de Maverick nas duas últimas temporadas - como diretor esportivo, e Ramón Forcada como engenheiro de pista de Dani.

Próxima MotoGP matéria
Márquez: Yamaha está menos à frente do que temia

Previous article

Márquez: Yamaha está menos à frente do que temia

Next article

Viñales surpreende e termina sexta na ponta em Assen

Viñales surpreende e termina sexta na ponta em Assen