Engenheiro de Viñales: Piloto tem mais influência atualmente

Experiente na MotoGP, Ramon Forcada fala de mudanças ocorridas no mundial de motociclismo nos últimos anos

Depois de 30 anos atuando no Mundial de Motovelocidade com grandes pilotos, como Jorge Martinez Aspar, Alex Criville, Alberto Puig, John Kocinski, Alexandre Barros e Jorge Lorenzo, Ramon Forcada atualmente é chefe de mecânicos de Maverick Viñales na Yamaha.

Ele pontua que a MotoGP mudou muito neste tempo. Segundo ele, o piloto hoje em dia faz muito mais diferença do que uma equipe na hora de extrair o potencial de uma moto.

"Antes, os pilotos que vinham a uma estrutura tinham que se adaptar ao sistema de trabalho que estava ali, o que era próprio de cada marca ou equipe.”

“Essa é a única coisa que não pode ser comprada. Todo o resto, caminhões e equipamentos, era uma questão de dinheiro. No entanto, agora o piloto conta muito, no ponto em que muitas vezes é a equipe que acaba se adaptando."

"Todas as fábricas fazem o mesmo, protegem muito o piloto e isso é parcialmente bom, mas, ao mesmo tempo, eu também digo que existem certas licenças que os patrões não permitiriam antes", ressalta ele sem especificar.

"Os pilotos agora têm muito mais influência nas equipes do que antes. Há 15 ou 20 anos, o piloto era trabalhador, passava horas no box e ajudava você a ‘fazer’ a moto. Agora, isso não acontece ", continua Forcada.

"Naquela época, nenhum mecânico era demitido porque o piloto chegava com seu time. Ele só era autorizado a trazer alguém se houvesse espaço. Agora, equipes inteiras são demitidas.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Tipo de artigo Últimas notícias