Especial MotoGP: polêmica e promessa de grande ano

Em temporada de revolução técnica no mundial, categoria vive grande expectativa pós-atrito entre Rossi e Marquez

Prometendo muito, a MotoGP fará sua primeira corrida na temporada de 2016 no próximo final de semana. Será a décima vez que o GP do Catar abre a temporada da categoria, e a nona prova noturna no deserto de Losail.

Após uma temporada agitada e histórica em 2015, a categoria vive um dos melhores momentos de sua história, com muita expectativa rodeando o início de 2016.

Para acompanhar bem o mundial, o Motorsport.com separou alguns pontos para você se atentar antes de assistir à corrida de domingo:

Novidades técnicas

Michelin engineers

Para 2016, a MotoGP tem uma nova fornecedora de pneus – a Michelin – e um novo software eletrônico padrão. O reflexo disso na pré-temporada foram quedas muito além do normal e pilotos e equipes se queixando da dificuldade de entender o novo equipamento.

Depois de muito criticado em testes no ano passado, o pneu Michelin melhorou, mas ainda não chegou onde deveria em termos de qualidade. A característica principal do pneu francês é oposta ao da Bridgestone, utilizado até 2015. Enquanto que com o composto japonês cada piloto tinha de explorar ao máximo a aderência dianteira de sua moto, com o Michelin o piloto tem de tomar mais cuidado com a frente da moto até o meio da curva (fato que explica as quedas). Em compensação, todos elogiaram o novo pneu traseiro, que dispõe de mais aderência que o antigo da Bridgestone.

No caso da eletrônica, cada fábrica vem enfrentando um desafio tão grande quanto. “Cérebro do motor”, a ECU (ou centralina, ou central eletrônica) comanda basicamente o controle de tração, o anti-wheelie (mecanismo para evitar que a moto empine) e o freio-motor das unidades motrizes. Até o ano passado, cada montadora desenvolvia o seu software. Neste ano, há uma ECU obrigatória para todas as motos feita pela Magneti Marelli.

Esta novidade representará um desafio na administração de uma corrida, pelo menos no início deste ano. Segundo os pilotos, as primeiras voltas são praticamente idênticas ao que era até o ano passado. No entanto, o final da prova será mais difícil, com a gestão dos pneus de cada piloto sendo vital para um bom ritmo nas últimas voltas. Culpa de uma evolução incompleta da centralina.

Favorito?

Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing

Olhando para a tabela de tempos dos testes, Jorge Lorenzo inicia sua nona temporada na MotoGP como piloto a ser batido. No agregado, ele liderou os testes da Malásia e do Catar – as duas pistas “mais normais” nas quais a MotoGP testou, já que Austrália é reconhecidamente um “circuito de exceção” graças a suas características.

Em Sepang, Lorenzo colocou 0s515 em cima do segundo colocado, no Catar, 0s516. No ritmo de uma volta, de fato, Jorge parece imbatível por ora. Seu estilo suave de condução parece ter encaixado perfeitamente com os pneus Michelin.

No entanto, em ritmo de prova Marc Marquez e Valentino Rossi estão mais próximos. Em uma simulação de corrida feita pelos três no último dia de teste no Catar, Marquez foi 0s3 mais rápido que Lorenzo ao final de 22 voltas, enquanto que Rossi ficou 4s2 atrás dos dois. Em uma corrida, pelas batalhas, essas diferenças pouco representariam.

A “rivalidade do século” continua?

Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing and Marc Marquez, Repsol Honda Team

Sim, ela continua. Pelo menos por enquanto, Valentino Rossi e Marc Marquez têm se estranhado do lado de fora das pistas. O italiano recentemente voltou a dizer que sente que foi traído pelo espanhol nos episódios do ano passado, quando Rossi acusou Marquez de ter sido o “guarda-costas” de Jorge Lorenzo nas três últimas provas do ano.

O auge do desentendimento foi no GP da Malásia, quando Marquez supostamente segurou Rossi em um duelo enquanto Lorenzo escapava mais à frente. Rossi tirou Marquez do traçado e os dois acabaram se tocando. Com a queda de Marc, Valentino foi obrigado a largar do fim do grid a última etapa de 2015, desta forma perdendo o título para Jorge Lorenzo.

O clima entre os antigos amigos continua tenso após declarações de Marquez nesta semana. Podemos esperar encontros quentes na pista nesta temporada.

Podem surpreender ou desapontar

Maverick Viñales, Team Suzuki MotoGP

Além do campeão Lorenzo, do vice Rossi e do terceiro Marquez, outros pilotos estarão lutando pelas corridas. Se havia alguém de quem se esperava bastante pela tocada limpa exigida pelos pneus Michelins era Dani Pedrosa – que completa dez anos de Repsol Honda em 2016. Porém, o espanhol desapontou na pré-temporada, sempre ficando bem atrás do companheiro Marquez.

A Ducati não brilhou como na pré-temporada de 2015, mas mesmo assim promete beliscar pódios durante o ano. O time quer finalmente conquistar sua primeira vitória desde 2010, e para isso recontratou o piloto que venceu esta última prova. Agora, Casey Stoner atua como piloto de testes do time italiano. Será o suficiente para fazer Andrea Dovizioso e Andrea Iannone desencantarem finalmente? A ver.

A grande surpresa da pré-temporada foi o espanhol Maverick Viñales da Suzuki. Segundo no teste da Austrália, ele e a montadora japonesa prometem um ano mais consistente após avanços técnicos. Outras surpresas foram as Ducatis GP15 da equipe Pramac (Danilo Petrucci e Scott Redding) e as Ducatis GP14.2 da Avintia (Hector Barberá e Loris Baz). Estes deverão disputar de igual os melhores lugares do pelotão intermediário com as motos da Tech 3 (Bradley Smith e Pol Espargaró) e a Honda satélite da LCR (Cal Crutchlow).

Calendário

Neste ano a MotoGP volta para a Áustria. A corrida entra no lugar do GP de Indianápolis. A única corrida nos EUA passa a ser em Austin, a terceira da temporada (troca de lugar com o GP da Argentina, que agora é a segunda). Fora isso, sem grandes mudanças. Veja:

  Data GP Pista
1 20/mar Catar* Losail International Circuit
2 03/abr Argentina Termas de Río Hondo
3 10/abr Américas Circuit Of The Americas
4 24/abr Espanha Jerez de la Frontera
5 08/mai França Le Mans
6 22/mai Itália Mugello
7 05/jun Catalunha Circuit de Barcelona-Catalunya
8 26/jun Holanda TT Assen
9 17/jul Alemanha Sachsenring
10 14/ago Áustria Red Bull Ring
11 21/ago República Tcheca Brno
12 04/set Grã-Bretanha Silverstone
13 11/set San Marino e Riviera de Rimini Misano
14 25/set Aragon MotorLand Aragon
15 16/out Japão Twin Ring Motegi
16 23/out Austrália Phillip Island
17 30/out Malásia Sepang International Circuit
18 13/nov Valência Comunitat Valenciana - Ricardo Tormo

*Corrida noturna

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Tipo de artigo Conteúdo especial