Feliz, Pedrosa diz que superar Rossi “foi motivador”

compartilhar
comentários
Feliz, Pedrosa diz que superar Rossi “foi motivador”
Gabriel Carvalho
Por: Gabriel Carvalho
14 de jul de 2015 15:26

Piloto espanhol afirmou que superar o atual líder do campeonato em Sachsenring foi um belo incentivo e que o braço operado melhora “dia após dia”

Dani Pedrosa, Repsol Honda Team e Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
Segundo colocado Dani Pedrosa e o vencedor Marc Marquez, Repsol Honda Team
Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing and Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Valentino Rossi, Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing e Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Segundo colocado Dani Pedrosa, Repsol Honda Team é parabenizado por Cal Crutchlow, Team LCR Honda
Pódio: segundo lugar Dani Pedrosa, o vencedor Marc Marquez, Repsol Honda Team e o terceiro colocado Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing

Dani Pedrosa está feliz. Após passar por momentos difíceis no início da temporada e teve que se ausentar dos GPs dos Estados Unidos, da Argentina e da Espanha para passar por uma cirurgia no antebraço direito, que o incomodava há algum tempo e influenciava negativamente na pilotagem. Embora admita que não está completamente recuperado, o piloto da Honda diz que a recuperação é boa e que a pista de Sachesnring também ‘ajudou’ o piloto a ter bom rendimento – Pedrosa terminou o GP da Alemanha em segundo.

“O braço melhora dia após dia, embora ainda não esteja completamente recuperado. Esta pista não me causou muitos problemas, pois a maior parte das curvas é para a esquerda. Então não precisei forçar tanto o braço. Mas certamente o tratamento que tenho feito tem ajudado bastante”, revelou o espanhol, que ressaltou ainda o bom ritmo apresentado na pista alemã e admitiu que superar Valentino Rossi, atual líder da temporada 2015 da MotoGP e terceiro colocado na prova germânica, foi um incentivo e tanto.

“Foi a primeira vez (no ano) em que terminei uma corrida e não fiquei tão distante do ritmo do líder. Eu não estava veloz no início da prova, mas volta a volta eu consegui acertar o ritmo com estes pneus (assimétricos). No fim, estava muito forte e pude superar Valentino (Rossi) – ele está pilotando em alto nível, motivado. Foi motivador terminar à frente dele”, observou.

No entanto, Pedrosa reconheceu que as motos de Iwata se beneficiaram das características de Sachsenring para bater a Yamaha e que evoluções serão fundamentais para obter bom rendimento na segunda metade do campeonato – ele, assim como o companheiro Marc Márquez, espera que os testes em Misano, na próxima semana, sejam produtivos.

“Embora tenhamos sido mais fortes do que a Yamaha, acredito que isso tenha acontecido devido às características da pista. Ainda temos muito trabalho a fazer na segunda metade da temporada. Seria ótimo se encontrássemos alguma solução nesses testes”, concluiu.

Próxima MotoGP matéria
Lorenzo culpa pneu assimétrico por mau rendimento na Alemanha

Previous article

Lorenzo culpa pneu assimétrico por mau rendimento na Alemanha

Next article

Dovizioso admite que início de ano da Ducati não era real

Dovizioso admite que início de ano da Ducati não era real
Load comments