Honda: Equipe tem dois pilotos que não são crianças

compartilhar
comentários
Honda: Equipe tem dois pilotos que não são crianças
Por:
24 de jan de 2019 14:59

Alberto Puig, que foi um dos responsáveis pela chegada de Jorge Lorenzo, acredita na maturidade de dupla de pilotos

Alberto Puig, diretor esportivo da HRC na MotoGP, apostou desde o primeiro momento na assinatura de um piloto que, no papel, não se encaixaria na moldura de seu time. Mas quis apostar na busca de ter dois dos melhores pilotos do grid da categoria.

"A história da equipe da Repsol Honda sempre foi ter os melhores pilotos. Ganhar e também tentar oferecer uma boa imagem", disse ele durante a apresentação da equipe.

A má sorte, no entanto, fez com que ambos os pilotos tenham uma pré-temporada difícil, com Marc Márquez se recuperando de uma cirurgia no ombro e Jorge Lorenzo, que fraturou o osso escafoide e passou por uma cirurgia nesta segunda-feira. Ele vai perder o primeiro teste em Sepang.

"O início da temporada com os pilotos nesta situação será um pouco mais difícil, mas temos que fazer como pudermos", disse.

"Entendemos que os pilotos da Ducati e da Yamaha estão aptos e serão os mais fortes. Mas a nossa dupla vai entrar em forma em breve, e eles estarão rapidamente no mesmo nível. Essas lesões não são o fim do mundo para nós", disse ele.

"É melhor acontecer agora do que no meio da temporada", acrescentou Puig, que confirmou que em Sepang, no primeiro teste terá o piloto de testes, Stefan Bradl."

Tensão na garagem

Muito tem sido dito sobre a possível tensão que poderá existir nos boxes da Honda ao unir dois pilotos com personalidades fortes, uma situação em que Puig terá um papel de mediador fundamental.

"Temos dois pilotos que não são mais crianças, são adultos, que têm uma cabeça muito estruturada e sabem o que têm que fazer", disse Puig.

"Eles lutam por seus sonhos e é isso que a Honda pede, que eles sigam seus objetivos, mas entendendo que somos uma equipe que tem que trabalhar. Com as regras que devem existir, temos a certeza de que vamos avançar bem", disse ele.

Quando Puig teve a oportunidade de assinar com Lorenzo, ele consultou a Honda e Márquez sobre a decisão.

"Como pessoa, você pode gostar mais ou menos. Mas quando você formaliza uma relação de trabalho, você tenta tirar o melhor proveito do piloto e ele tenta fazer o mesmo com a equipe.”

“Então, haverá alguém que inicia uma amizade maior ou menor, mas o objetivo é alcançar os melhores resultados. No caso de Jorge, era a melhor possibilidade", disse o diretor esportivo da Honda HRC.

Next article
MotoGP aposenta número #69 de Nicky Hayden

Previous article

MotoGP aposenta número #69 de Nicky Hayden

Next article

Smith deixará de lado mentalidade de piloto de testes em corridas

Smith deixará de lado mentalidade de piloto de testes em corridas
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria MotoGP
Autor Germán Garcia Casanova