Lorenzo admite que "é muito bom estar tão à frente"

compartilhar
comentários
Lorenzo admite que
Jamie Klein
Por: Jamie Klein
3 de fev de 2016 19:31

Atual campeão da MotoGP reconhece grande vantagem sobre rivais após terminar último dia de testes em Sepang com quase um segundo de vantagem sobre resto do grid

Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing

Jorge Lorenzo desponta como o piloto a ser batido após as primeiras sessões de testes da pré-temporada da MotoGP, em Sepang. O atual campeão da categoria dominou o primeiro e o terceiro dia de treinos na Malásia, sendo batido apenas na terça-feira, quando Danilo Petrucci foi o mais veloz.

Nas duas sessões que liderou, Lorenzo estabeleceu vantagem na casa de um segundo sobre o segundo colocado - em ambas, quem chegou mais próximo do espanhol foi Valentino Rossi, companheiro de equipe na Yamaha.

Enquanto alguns pilotos têm apresentado dificuldades para se adaptar aos pneus da Michelin, Lorenzo afirma que já encontrou praticamente o mesmo equilíbrio que tinha com os Bridgestone, fornecedora oficial da MotoGP até o final da temporada passada. O tricampeão não poderia, portanto, estar mais satisfeito com os primeiros trabalhos de 2016.

"Os tempos de volta já dizem tudo. Um segundo de vantagem é algo bastante significativo, é muito bom estar tão à frente dos demais. A Michelin trouxe pneus melhorados para Sepang e os dois últimos compostos que testei me deixaram bastante confiante - estou próximo do equilíbrio que sentia com os Bridgestone", disse.

Apesar do domínio, Lorenzo revelou que andou na maior parte do tempo com a moto que mescla partes da M1 de 2015 com a moto de 2016, deixando de lado a versão nova da M1 - a mesma com a qual Rossi diz não se sentir totalmente confortável. 

"Não fizemos tanta coisa na moto, apenas ajustamos a eletrônica e eu tentei adaptar minha pilotagem aos pneus da Michelin. Hoje não andamos com a moto de 2016, concentramos nossos esforços na versão mista, pois não tivemos muito tempo de pista seca. Nas duas vezes em que andei, não senti tanta diferença", completou.

Próxima MotoGP matéria
Marquez diz que diferença para Yamaha é "enorme"

Previous article

Marquez diz que diferença para Yamaha é "enorme"

Next article

Loris Capirossi: "Valentino precisa virar a página"

Loris Capirossi: "Valentino precisa virar a página"
Load comments