Lorenzo admite que Márquez está veloz, mas avisa: "podemos nos aproximar"

Jorge Lorenzo vê Marc Márquez com boa vantagem no primeiro dia de treinos em Sachesnring, mas acredita que pode se aproximar do compatriota

O primeiro dia de treinos livres do GP da Alemanha da MotoGP foi de muito trabalho para Jorge Lorenzo. O espanhol, que terminou com o quarto melhor tempo do dia, reconheceu a superioridade de Marc Márquez, dono da melhor marca da sexta-feira e afirmou que teve problemas de aderência durante as sessões.

“Não temos muita aderência e a moto escorrega bastante. Precisamos ajustar melhor a parte eletrônica para evitar que isso continue acontecendo, seja cortando um pouco da potência, seja no ajuste fino do controle de tração”, disse o piloto da Yamaha, que destacou também os pontos da pista nos quais enfrentou as maiores dificuldades.

“Eu perdia tempo na saída da última curva, pois a roda dianteira subia demais durante a aceleração e na primeira curva perdia ainda mais, pois quando eu começava a inclinar a moto a traseira escapava. Fizemos algumas alterações na parte eletrônica e, com isso, eu fiquei mais confiante, o que nos deu cerca de três décimos de segundo”, revelou.

Apesar das dificuldades e da superioridade apresentada por Márquez, o vice-líder da temporada acredita que a continuidade dos trabalhos pode fazer com que ele se aproxime do piloto da Honda.

“Se conseguirmos melhorar a moto, podemos nos aproximar, pois o tempo dele (Márquez) foi obtido com pneus novos, colocados na metade da sessão. Tenho certeza de que ele conseguiu dois décimos com isso. Ainda assim, creio que ele está dois ou três décimos mais veloz do que nós, independentemente de qualquer outro fator”, concluiu.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Evento GP da Alemanha
Pista Sachsenring
Pilotos Jorge Lorenzo
Tipo de artigo Últimas notícias