Lorenzo defende sanções mais duras na MotoGP

Jorge Lorenzo acredita que os incidentes protagonizados por Marc Márquez na Argentina poderiam ter sido evitados se a direção de prova impusesse sanções mais duras

Jorge Lorenzo, que nesta semana lançou seu livro 'O que aprendi até os 30', faz um paralelo entre o nível de agressividade que caracteriza Marc Márquez na pista e a que ele tinha anos atrás, quando correu na categoria intermediária do Mundial.

Era a época em que Lorenzo ainda não havia sido coroado campeão e sua carta de apresentação era a coragem, a baixa tendência a recuar em situações de risco.

"Acredito que tudo poderia ter sido evitado se houvesse sanções mais duras. Eu, no meu primeiro ano (2005), era um piloto bastante kamikaze. Ele era muito agressivo e, se visse uma brecha, sempre tentava me enfiar", explicou Lorenzo ao programa El Hormiguero da TV espanhola.

"No GP do Japão, eu estava lutando pelo segundo lugar com Dani Pedrosa e Alex De Angelis, e queria terminar em segundo a todo custo. Toquei em Pedrosa numa curva e na seguinte tentei ultrapassá-los e superei De Angelis. A direção da corrida me puniu com uma corrida de suspensão, e a partir daí Lorenzo não foi tão agressivo, nem louco nem kamikaze", acrescentou o espanhol, que imediatamente argumentou sobre o efeito que a suspensão teve sobre ele, e como ele acredita que eu poderia fazer em Márquez.

"Márquez é um 'pilotazo', ele ganhou quatro dos últimos cinco títulos. Mas nenhum corredor não quer perder uma corrida da mesma maneira que nenhum jogador de futebol quer perder um jogo se ele receber um cartão vermelho. Tudo vem do árbitro da MotoGP", concluiu.

Veja o vídeo da entrevista de Lorenzo (em espanhol)

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Pilotos Jorge Lorenzo
Tipo de artigo Últimas notícias