Lorenzo diz que asas foram banidas para prejudicar Ducati

Tricampeão da MotoGP diz que outras montadoras fizeram pressão para que Ducati tivesse vantagem retirada

Durante a primeira parte desta temporada, a Ducati esteve envolvida em uma grande batalha política pela regulamentação das famosas asas que utilizava como forma de adicionar pressão aerodinâmica em suas motos.

Para outras montadoras e para a MotoGP, isso acarretava problemas de segurança, podendo ferir outros pilotos. No entanto, Jorge Lorenzo, novo piloto da Ducati não concorda.

"Se as asas eram realmente uma preocupação para os organizadores em termos de segurança, deveriam ter sido banidas na segunda corrida do ano", disse Lorenzo ao Motorsport.com.

"O layout do circuito de Montmeló foi alterado dez minutos depois do trágico acidente de Luis Salom, então como eles nos permitiriam correr com as asas se elas fossem perigosas?”

"Na minha opinião, houve influência de algumas montadoras que fizeram reuniões", acrescentou o espanhol, que é apoiado pelo chefe da equipe Paolo Ciabatti.

"No que diz respeito às asas, trabalhamos mais no lado aerodinâmico do que nos outros - que tiveram de trabalhar nisso depois. Tudo isso foi proibido com base em preocupações de segurança inexistentes.”

"Houve muitos acidentes neste ano e em nenhum deles um piloto sofreu um arranhão (das asas). É claro que nós tínhamos conseguido uma vantagem competitiva, porque nos ajustamos antes de todos os outros.”

De acordo com Ciabatti, os engenheiros da esquadra italiana encontraram uma maneira de impedir que a roda dianteira se levantasse sob aceleração mesmo sem as asas.

"Fomos competitivos com as asas e ficaremos sem elas", concluiu.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Pilotos Jorge Lorenzo
Equipes Ducati Team
Tipo de artigo Últimas notícias