Lorenzo: performance de Austin é “difícil de aceitar”

Piloto da Ducati, Jorge Lorenzo afirmou que uma apresentação apagada na prova de Austin da MotoGP o fez sentir “muito triste”, já que foi algo “difícil de aceitar”.

Lorenzo era a melhor Ducati no grid, em sexto, mas teve imensas dificuldades na corrida, terminando 31s atrás do vencedor da prova, Marc Márquez, em 11º.

Isso significa que o tricampeão está somente com seis pontos nas primeiras três corridas, dando continuidade ao seu pior começo de temporada na MotoGP. 

“Estou muito decepcionado”, disse Lorenzo após a corrida. “Estou muito triste. Hoje não foi um dia bom para mim.”

“Esse resultado é difícil de aceitar, mas não há outra forma a não ser esquecer desta corrida, pensar positivo, trabalhar muito duro, como estou fazendo agora.”

“Os resultados no momento não estão vindo. Espero que as coisas possam mudar e que eu possa demonstrar minha pilotagem.”

O espanhol disse que teve dificuldades durante a corrida “especialmente no fim” e explicou que “muitos problemas” contribuíram para o mau desempenho.

“Primeiro, na largada, [tem sido] um pouco mais difícil de largar com a nova moto do que no ano passado”, comentou. 

“Provavelmente não escolhemos o pneu certo na traseira – o [composto] duro estava patinando muito, se mexendo demais.”

“É uma pista muito física e, com a nova moto, acredito que eu sofra mais fisicamente, especialmente nas freadas. Tenho de encontrar algumas soluções para o futuro.”

“Sei do que eu fiz no passado e o que posso fazer no futuro, então é questão de continuar em frente, trabalhando e, um dia, chegaremos à boa satisfação, não?”

Infeliz com Miller

Apesar de ter dificuldades com ritmo, Lorenzo passou boa parte da corrida dentro do top 10, antes de perder terreno com uma manobra agressiva de Jack Miller, da Pramac, na Curva 1.

“Se eu não recolhesse a moto, bateria”, disse Lorenzo, quando questionado sobre a manobra de Miller.

“Se o outro piloto não encosta em você, eles [os comissários de prova] não fazem nada. Mas são sempre os mesmos pilotos que tomam essas ações.”

Miller, que terminou a prova em nono, admitiu que a manobra veio “um pouco tarde”. 

Ele continuou: “Tentei pedir desculpas depois da corrida, dizer que sinto muito, mas ele não aceitou nada disso. Quer dizer, me aproximei e ele estava com uma linha muito estranha, entrando muito tarde na curva.”

“Ele já estava aberto demais. Pensei ‘ah, vou tentar e colocar por dentro’, e assim o fiz, e não senti nenhum toque. Não acho que tenha havido nenhum toque.”

“Mas foi uma manobra que veio um pouco tarde. Naquele momento, senti que seu ritmo estava caindo e encontrei minha oportunidade e tive de aproveitar, acho.”

Reportagem adicional de Oriol Puigdemont e Charles Bradley

Confira os dez momentos mais marcantes do GP das Américas

 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Evento GP das Américas
Pista Circuit of the Americas
Pilotos Jorge Lorenzo , Jack Miller
Equipes Ducati Team
Tipo de artigo Últimas notícias