Márquez diz que não entendeu mudança de número de Viñales

compartilhar
comentários
Márquez diz que não entendeu mudança de número de Viñales
Por:
Co-autor: Germán Garcia Casanova
4 de jan de 2019 19:26

Atual campeão da MotoGP também afirmou que não tem planos de abandonar seu famoso número #93

Maverick Viñales resolveu mudar o número de sua moto para a temporada 2019 da MotoGP: saiu o tradicional #25, entrará o #12.

O espanhol explicou a sua decisão no ano passado em Valência, dizendo que queria traçar uma linha demarcatória nos difíceis dois primeiros anos de Yamaha e assinalar o início de uma nova era, que incluirá também um novo chefe de equipe, Esteban Garcia.

Mas Marc Márquez disse que achou a decisão de Viñales estranha e que desistir de seu #93 nunca passou pela cabeça.

Questionado sobre o motivo pelo qual um piloto pode optar por trocar números, Márquez respondeu: "Eu não sei. Desde que usei o #93 pela primeira vez, eu o mantive.”

"Pode ser uma superstição, talvez psicologicamente isso ajude. Mas não me ocorre mudar meu número.”

"Há pilotos que são mais obsessivos que outros, essas coisas podem afetar certas pessoas. Mas eu não tenho muitas superstições."

Uma das razões que poderiam ter contribuído para a mudança foi que Viñales teria usado #12 em algumas corridas no início de sua carreira quando venceu Márquez.

O pentacampeão respondeu: "Não me lembro de ter feito um campeonato inteiro juntos quando crianças. Fizemos algumas corridas, não importa.”

"Um ano, quando eu era muito pequeno, usei o #3. Mas agora estamos na MotoGP e é isso que conta. Não podemos viver do passado, temos que viver o presente.”

"Mas se ele ganhar mudando seu número, eu mudarei o meu também!"

Cinco vezes em que um piloto da MotoGP mudou de número

Jorge Lorenzo (2009)

Com o #99 sendo agora um dos números mais emblemáticos da MotoGP, é fácil esquecer que Lorenzo usou o #48 em sua primeira temporada na elite da motovelocidade. Isso foi em deferência ao seu ex-empresário Dani Amatriain, mas com o final do relacionamento entre eles em 2008, Lorenzo consultou seus fãs sobre qual número ele deveria usar em 2009.

Lorenzo também usou o #1 em 2011 e 2013 depois de ganhar suas duas primeiras coroas, mas em 2016 ele decidiu renunciar ao seu direito de ser o #1 e ficar com o agora onipresente #99.

Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing

Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing

Photo by: Toni Börner

Jorge Lorenzo, Fiat Yamaha Team

Jorge Lorenzo, Fiat Yamaha Team

Photo by: Bridgestone Corporation

Chris Vermuelen (2008)

Quando foi parar na MotoGP, vindo do Mundial de Superbike (WSBK) em 2006, Vermuelen queria usar o lendário #7 do falecido mentor de Barry Sheene, mas Carlos Checa ocupava o número. Assim, o piloto australiano usou o #71 por duas temporadas antes da mudança de Checa para o WSBK em 2008, que enfim liberou o cobiçado #7.

Chris Vermeulen

Chris Vermeulen

Photo by: Todd Corzett

Chris Vermeulen, Rizla Suzuki MotoGP

Chris Vermeulen, Rizla Suzuki MotoGP

Photo by: Crescent Suzuki

Sete Gibernau (2009)

O 15º lugar de Gibernau na classificação das 500cc de 2000 deu-lhe o #15 que ele usaria até a sua aposentadoria em 2006. Mas para seu retorno em 2009 com a equipe Onde 2000, esse número já estava sendo usado por Alex de Angelis. Em vez disso, Gibernau escolheu o número #59, uma referência ao ano em que a empresa de seu avô, a Bultaco, produziu sua primeira moto.

Sete Gibernau, Telefónica Movistar Suzuki

Sete Gibernau, Telefónica Movistar Suzuki

Photo by: Gold and Goose / LAT Images

Sete Gibernau, Grupo Francisco Hernando

Sete Gibernau, Grupo Francisco Hernando

Photo by: XPB Images

Colin Edwards (2005)

Depois de dois anos difíceis usando o #45 - um número de seus primeiros dias no AMA - Edwards decidiu reviver o #5 que carregou no WSBK em 1999, para coincidir com a sua mudança de 2005 da Honda para a Yamaha.

Colin Edwards

Colin Edwards

Photo by: Gresini Racing

Colin Edwards

Colin Edwards

Photo by: Gauloises Fortuna Racing

Randy de Puniet (2007)

De Puniet mudou de #17 para #14 após apenas um ano com o número em 2006. O francês revelou que sua primeira escolha era o #7, e com isso já em uso por Checa, ele simplesmente dobrou para fazer #14, usando para o resto de sua carreira na MotoGP.

Randy de Puniet

Randy de Puniet

Photo by: Kawasaki Racing Team

Randy De Puniet

Randy De Puniet

Photo by: Honda Racing

Next article
Mesmo em adaptação, Lorenzo mostra confiança para vencer em 2019

Previous article

Mesmo em adaptação, Lorenzo mostra confiança para vencer em 2019

Next article

Rossi: Foi muito triste não poder vencer em 2018

Rossi: Foi muito triste não poder vencer em 2018
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria MotoGP
Pilotos Marc Marquez Shop Now , Maverick Viñales Shop Now
Autor Jamie Klein