Márquez: "Não estava atrás de uma volta rápida"

Marc Márquez terminou muito feliz o último dia dos testes da MotoGP na Tailândia, com foco em melhorar o ritmo de corrida

Marc Márquez não baixou a guarda. Sendo o atual campeão, ter aparentemente a melhor moto, não faz o catalão relaxar.

Já dizem que o difícil não é chegar, mas manter-se. Apesar de ter desfrutado da sua pré-temporada mais calma, Márquez trabalha mais do que nunca. No teste deste domingo ele acumulou 96 voltas - mais do que qualquer outro piloto - de um total de 268 nos três dias na Tailândia.

"Trabalhamos no ritmo, porque isso é o que tem que ser feito", confirmou o piloto da Repsol Honda. "Hoje demos alguns pequenos passos. Se olhar o tempo vai dizer que não fui tão rápido, mas depende se vai ao ataque no último minuto. Não fizemos isso e nos sacrificamos para fazer algo mais em longo prazo e outras coisas".

Hoje Márquez terminou em quarto, a três décimos de seu companheiro de equipe, Dani Pedrosa, mas parece pouco se importar de não ter sido o mais rápido. A Honda sabe que os pontos são compartilhados na corrida e conta pouco o quão rápido está em uma volta.

Com a decisão do motor 2018 já tomada, a Honda se concentra em outros aspectos. Ontem estavam testando uma evolução aerodinâmica da carenagem e hoje estreou um braço de carbono. O último teste da pré-temporada será realizado daqui duas semanas no Qatar, onde ele espera confirmar os bons sentimentos.

"As coisas chegaram da fábrica e estão melhorando. Estão trabalhando muito rápido. Isso é muito importante, mas no final, até as primeiras corridas acabarem, não sabemos onde estamos. Agora vamos a Losail, que é um circuito onde sofremos um pouco mais este ano. Dani hoje foi o primeiro, eu estava à frente e Crutchlow também está perto. Estou feliz", concluiu Márquez.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Evento Buriram February testing
Pista Chang International Circuit
Pilotos Marc Marquez
Tipo de artigo Últimas notícias