MotoGP confirma extensão de contrato com Michelin até 2023

Fabricante francesa anuncia que continuará a fornecer pneus à classe principal do mundial por mais seis temporadas

A Michelin e a MotoGP anunciaram neste sábado (21) na Austrália que seguirão sendo parceiras na classe principal do mundial de motovelocidade até o ano de 2023. A marca francesa voltou ao campeonato em 2016 após sete anos de ausência e assinou um primeiro contrato de quatro anos.

O novo expirará no final de 2023, garantindo assim a fabricante por pelo menos mais seis temporadas na MotoGP.

"Michelin está fazendo um trabalho extraordinário” disse Carmelo Ezpeleta, CEO da Dorna, ao Motorsport.com.

“Há algumas coisas ainda pendentes, mas o saldo total é fantástico. Uma coisa que deve ser destacada é que quando eles não fizeram bem as coisas, eles reconheceram. Não estamos acostumados a isso. Eles tentam sempre o seu melhor para reagir."

Isso dará tempo à Michelin para trabalhar em problemas que ainda tem a resolver. O mais marcante é o que afeta Dani Pedrosa. O espanhol da Honda tem tido problemas para conseguir que seus pneus adquiram temperatura em condições amenas, uma desvantagem que vem devido a seu peso (cerca de 50 kgs).

O anúncio da renovação ocorre no sábado do GP da Austrália, que tem a marca francesa como patrocinadora oficial.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Tipo de artigo Últimas notícias