MotoGP vai impor penas mais duras após confrontos

Depois dos incidentes na Argentina, categoria irá aplicar punições mais rigorosas a partir do GP das Américas

Medidas mais duras foram acertadas na reunião de sexta-feira da Comissão de Segurança em Austin, que contou com a presença da maioria dos pilotos, após a polêmica em torno maneira agressiva que Marc Márquez correu em Termas de Rio Hondo.

Além dos incidentes envolvendo o atual campeão, Pol Espargaró foi atingido por Danilo Petrucci na Argentina, provocando uma amarga guerra de palavras com a Pramac nas redes sociais, enquanto Dani Pedrosa foi ao chão , após batalha com Johann Zarco na primeira volta da corrida.

Jorge Lorenzo argumentou que tais ações eram culpa dos comissários por não fazerem o suficiente para deter o mau comportamento, e agora se chegou a um consenso para punir a direção perigosa com mais severidade.

"Nós concordamos que a partir de agora sanções mais severas serão impostas", disse o piloto da Suzuki, Alex Rins.

O piloto da KTM, Pol Espargaró, acrescentou: "As punições serão reforçadas. Cada um de nós deu a nossa opinião e a Dorna nos ouviu.”

"Eles repetiram para nós que a partir de agora as coisas serão feitas de maneira mais precisa e que medidas mais duras serão impostas. Quanto mais duras forem as penalidades, menos sanções haverá."

Espargaró disse que o CEO da Dorna, Carmelo Ezpeleta, deixou claro para os pilotos da Comissão de Segurança que os comissários da FIM, responsáveis pela decisão de punições, estão prontos para reprimir.

"Carmelo nos disse que os comissários já estão informados e que serão mais duros", acrescentou Espargaró.

"Mas impor as punições continua a ser o trabalho dos comissários e da FIM. A Dorna não quer tomar partido e quer permanecer neutra."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Pilotos Pol Espargaro , Alex Rins
Tipo de artigo Últimas notícias