Para Lorenzo, prioridade é continuar na Yamaha: “A moto é competitiva”

Com contratos terminando no fim deste ano, Jorge se foca com assinar o quanto antes com a equipe japonesa

Mesmo vivendo todo o inferno astral de ter caído na primeira prova da temporada, Jorge Lorenzo espera assinar em breve com a Yamaha para continuar na equipe onde estreou na categoria MotoGP, em 2008. Segundo o bicampeão, chegaram outras propostas outros times do mundial, mas o foco é continuar por pelo menos mais dois anos na escuderia atual.

“Nós começamos a conversar e já tivemos uma primeira reunião. O ideal seria continuar na Yamaha, mas, obviamente, o nosso objetivo é ganhar e a moto é muito importante", alertou.

"Eu sempre tive uma moto muito boa, eu terminei em primeiro ou segundo nas últimas cinco temporadas, e isso significa que a M1 funciona muito bem. Se a moto puder melhorar um pouco mais e a Yamaha puder oferecer a mim e a Valentino uma moto melhor, seria muito mais fácil tomar a decisão de ficar mais de dois anos", disse o espanhol.

Além do bicampeão, os contratos de Valentino Rossi, Dani Pedrosa e Marc Márquez terminam no fim desta temporada. "Eu acho que todos os pilotos, se recebem ofertas, ouvem. Você tem que ser louco para não ouvir, mas, obviamente, se as coisas correrem bem com a sua fábrica e te tratam bem, como Yamaha sempre fez comigo, e também se a sua moto é competitiva, o lógico é que você continue", admitiu o #99.

"Vamos ver o que acontece. Os três ou quatro pilotos mais fortes sempre receber ofertas de todas fábricas, por isso este ano eu acho que vai acontecer o mesmo."

Segundo a imprensa espanhola, Lorenzo tem uma boa proposta da Ducati, já que foi bicampeão de 250cc com o novo chefe da Ducati Corse, Gigi Dall'Igna, que até o ano passado comandava os projetos de competição da Aprilia, equipe na qual Lorenzo se destacou na categoria intermediária em 2006 e 2007.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Tipo de artigo Últimas notícias