Pedrosa diz que Honda precisa melhorar aderência traseira

compartilhar
comentários
Pedrosa diz que Honda precisa melhorar aderência traseira
Oriol Puigdemont
Por: Oriol Puigdemont , MotoGP Editor
Traduzido por: Daniel Betting
18 de ago de 2017 14:23

Espanhol acredita que se o problema for resolvido, consegue liberar mais potência da moto

Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Podium: third place Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Dani Pedrosa, Repsol Honda Team
Dani Pedrosa, Repsol Honda Team

Além da clara melhora mostrada pela Honda no GP da Áustria em comparação com a corrida do Red Bull Ring do ano passado, Dani Pedrosa acredita que o fabricante japonês deve continuar a procurar mais aderência na parte traseira da moto.

Assim como a maioria dos pilotos do grid da MotoGP, Pedrosa também alertou para a possibilidade de vitória de Andrea Dovizioso do último domingo usando sua Ducati com a especificação mais macia disponível entre os pneus traseiros.

Pedrosa, que é muito mais leve do que o italiano e que geralmente escolhe os compostos mais macios, desta vez estava com o duro e ainda não conseguiu a durabilidade imaginada.

O fato de Marc Márquez ter brigado pela vitória com Dovizioso até os últimos metros e que ele terminou no pódio é uma confirmação do progresso alcançado pela Honda em comparação com a prova do ano passado na Áustria, onde Márquez foi o melhor representante da marca, apenas em quinto, a 12 segundos do vencedor.

De acordo com a análise de Pedrosa, a chave para essa melhoria é encontrar uma combinação de elementos, começando com o motor, seguindo pela eletrônica e terminando na carenagem com os novos apêndices aerodinâmicos.

Tudo isso permitiu que a RC213V ganhasse em aceleração em relação ao protótipo anterior, depois de ter encontrado mais tração e poder controlar a subida do pneu dianteiro, um fator determinante no Red Bull Ring.

"Na Áustria, demos um passo à frente em relação ao ano passado, mas temos que trabalhar para melhorar a aderência porque eu, que normalmente não escolho o pneu duro, desta vez acompanhei Dovizioso que ganhou com o macio. Para alcançá-lo, precisamos ir um pouco mais rápido", disse Pedrosa, que é o quinto do campeonato, mas apenas 35 pontos atrás do líder, Márquez.

"Temos mais aceleração e controle da moto, mas a ela patina muito na traseira. Se pudermos avançar um pouco, poderemos liberar mais potência", acrescentou o espanhol.

Próxima MotoGP matéria

Sobre esta matéria

Categoria MotoGP
Pilotos Dani Pedrosa
Equipes Repsol Honda Team
Autor Oriol Puigdemont
Tipo de matéria Últimas notícias