Pedrosa não pede punição, mas culpa Lorenzo por queda

Dani Pedrosa culpa Jorge Lorenzo pelo incidente que derrubou ambos e Andrea Dovizioso em Jerez

Jerez de la Frontera.- Faltavam sete voltas para o final da corrida de Jerez, quando Andrea Dovizioso ultrapassou Jorge Lorenzo, que ocupava a segunda posição. O italiano espalhou e o espanhol se recuperou, voltando para a linha de dentro, onde encontrou Dani Pedrosa, que vinha atrás dos dois pilotos da Ducati.

Lorenzo bateu em Pedrosa, que voou pelo ar, enquanto o piloto da moto 99 saía e tocava a de seu companheiro de equipe. O resultado foi os três no chão e Dani, mais uma vez, foi quem ficou em pior situação.

"A duras penas eu consegui me levantar e sair da pista", explicou o catalão. "Como pude, me sentei na cerca para me recuperar. Me deram um muito forte aqui", disse ele, apontando para o quadril direito", e novamente para a cabeça. “Sorte que o capacete parou o golpe", explicou, lembrando o GP da Argentina, quando Zarco o jogou e ele já bateu com a cabeça.

"A mão, por sinal, não sofreu danos", acrescentou.

"Eu tinha um bom ritmo, mas por algum motivo [a Ducati] não acelerou bem e me tirou muito nas retas e chegava muito tarde nas frenagens, não conseguia pegar vácuo para ultrapassar. Eu tive dificuldade em parar a moto e ultrapassar. Estava esperando o final da corrida para os pneus me permitissem administrá-los ou esperar por um erro, como o que o Dovi tinha feito um pouco antes o que me permitiu ultrapassá-lo, apesar de ter recuperado rapidamente a posição".

O piloto da Honda aproveitou para explicar o momento da queda.

"Eu tentei aproveitar o erro, entrei na linha boa e na hora de ir para a curva o Jorge voltou para a linha e nos tocamos", contou Dani.

"Eu não o vi, ele estava do lado direito da moto. Infelizmente nós três caímos e eu fisicamente recebi a pior parte. Mas também me sinto mal por eles, porque eles estavam fazendo uma corrida muito boa. E eu sinto muito por Dovi porque agora suas opções para o título estão mais difíceis".

O curioso é que os três pilotos que todo mundo identifica como mais 'agressivos', Márquez, Zarco e Iannone, terminaram no pódio, e os três, de alguma forma mais cuidadosos, acabaram na chão.

"O ponto mais negativo é que isso aconteceu com três pilotos que não têm o perfil de entrar nesse tipo de situação".

No final, a direção de prova avaliou que o incidente não merecia sanção, catalogando-o como um 'lance de corrida', algo em que Dani não concordou.

"Eu não concordo, acho que a direção de prova está errada. Eu fui perguntar por que depois de uma ação como essa eles decidem que é apenas um incidente. No final, falando, fica claro que é um incidente, especialmente porque acontece com pilotos que não têm esse perfil e, portanto, ninguém pode ser culpado. Mas eu estava no traçado e Dovizioso separou o Jorge da linha, os dois estavam do lado de fora e eu estava entrando. Quando você sai, se você voltar, tem que olhar, porque eu tinha a preferência", continuou.

"Isso é o que eu tentei explicar para a direção de prova, não para sancionar Jorge, pelo contrário, mas para que eles tentem explicar aos outros que isso tem que ser evitado. Se eles classificam como um incidente de corrida, os outros pilotos vão acreditar que é normal, e eles devem entender que não é”.

"O fato é que a direção de prova me disse que eu estava certo e que, se eu quisesse, poderia entrar com uma reclamação, pois eles já tinham tomado uma decisão. Eu não peço uma sanção para Lorenzo, mas explico que não é simplesmente um incidente".

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Evento GP da Espanha
Pista Circuito de Jerez
Pilotos Dani Pedrosa
Tipo de artigo Reactions