Rossi se diz aberto por renovação de um ano com Yamaha

Ao ver companheiro de equipe anunciar novo contrato com equipe, italiano ainda não decidiu o que fazer

Para Valentino Rossi, apresentações para uma nova temporada é um exercício ao qual ele está absolutamente acostumado. Pela 23ª vez ele viveu este experiência, nesta quarta-feira em Madri, onde foram apresentadas as novas cores da Yamaha para a temporada 2018.

No entanto, a grande novidade do dia veio de Maverick Viñales, que surpreendeu todos ao anunciar que renovou seu contrato com a Yamaha para o biênio 2019-2020, passo que Rossi, por enquanto, não deu.

"Eu sabia sobre a assinatura de Maverick e eu estou feliz por ele. Eu quero fazer o primeiro teste e depois decidir. Eu quero continuar. Ver se somos competitivos e depois decidir", disse Valentino, cujo contrato com a Yamaha termina no final de 2018.

"Estou feliz de que ele siga na Yamaha. Eu me dou bem com ele, é um grande adversário e temos muito respeito. É diferente de Lorenzo", disse.

Rossi quer ver a competitividade da moto e, se ele conseguir o seu grande objetivo, lutar por sua décima coroa mundial.

"Em 2015, lutei até a última corrida. O objetivo é ser mais rápido que no ano passado. Temos que ganhar mais corridas e chegar ao pódio mais vezes. No campeonato veremos. Não é uma obsessão", disse ele, no entanto, em contraste com o que disse seu grande amigo Uccio Salucci.

Sobre sua renovação, que apesar de tudo, é o que se espera, o italiano continua refletindo.

"Nos últimos tempos sempre se fala de dois anos. Veremos se continuo, se será um ou se são dois. Tenho todas as portas abertas. No ano passado, depois da corrida, fizemos dois testes importantes. Testamos o chassi de 2016. Esclarecemos algumas dúvidas sobre a temporada. Quero ver sábado na Malásia se somos competitivos", em referência à nova moto.

Mas Rossi não está sozinho, esse nível está marcado nos últimos anos por rivais.

"O nível na MotoGP é muito alto para os pilotos e as motos. Este ano será difícil vencer a Ducati".

"Esperamos ser competitivos como antes de 2017, quando sofremos um pouco".

"Eu nunca pensei em correr por 23 anos. Eu não me pus limites. É um pouco pesado porque foram muitos anos", admitiu com uma risada.

Havia também informações sobre seus bons tempos em um teste de F1.

"Alguns anos atrás eu decidi não continuar com carros e me concentrar nas motos. Certamente haverá uma idade para isso, eu quero correr em um carro, mas será uma coisa de nível mais baixo, apenas por diversão".

Sobre a nova moto que vão testar na Malásia, Rossi deu suas explicações.

"A moto parte da de 2016. Viñales e Zarco estão convencidos de que é melhor do que o de 2017", mas disse que "não terão as modificações" que serão vistas no sábado.

No entanto, ele explicou que encontraram uma maneira de continuar o trabalho.

"Viñales e eu tivemos uma ideia semelhante no teste de Valência para o desenvolvimento da moto. Será importante porque na última moto do teste eu não estava muito confortável".

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Evento Yamaha Team launch
Tipo de artigo Últimas notícias