Rossi: Para Yamaha, é melhor tomar moto 2016 como base

Após competir com chassi de 2016 em Valência, italiano acredita que desenvolvimento da moto de 2018 deva ignorar 2017

Mesmo destruindo a moto que continha o protótipo do motor de 2018 no primeiro dia de teste de pós-temporada em Valência, Valentino Rossi ficou satisfeito em seguir a base da moto de 2016 para o desenvolvimento do equipamento do próximo ano.

Quarto nesta terça-feira (14), Rossi acha que o time deve ignorar os progressos feitos em 2017.

"Estou muito feliz da forma como foi, porque fui rápido o suficiente. Terminei em quarto e andei bem. Também tive um bom ritmo, então foi um dia positivo", afirmou o italiano.

"Continuamos a trabalhar no chassi em 2016 e encontramos um bom equilíbrio. A moto de 2016 foi rápida e isso já é positivo. É verdade que com esta moto gastamos mais os pneus, mas ainda temos que trabalhar e achei uma opção boa", ele acrescentou.

"Para mim, a situação é bastante clara: a Yamaha fez uma moto para tentar salvar os pneus e sob certos pontos de vista funcionou, mas a moto é muito mais difícil de guiar. Dizemos que é mais lenta, então penso que seria melhor partir da base de 2016 e tentar não acabar com os pneus desta moto." 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Evento Valencia November testing
Pista Valencia
Pilotos Valentino Rossi
Equipes Movistar Yamaha MotoGP
Tipo de artigo Entrevista