Stoner quer volta da eletrônica de 2007: ”estou desapontado”

Depois de testar moto de 2015 da Ducati com nova central eletrônica obrigatória, australiano diz que esperava moto menos dócil: “não há grande diferença”

Alegando falta de desafios e perda de motivação em seguir com a carreira, Casey Stoner se aposentou da MotoGP no final de 2012 com 27 anos de idade após conquistar dois títulos mundiais.

Uma das principais críticas do piloto era o exagero eletrônico nas motos atuais, como controle de tração, freio-motor e anti-whellie (programa que impede que a moto empine nas retomadas) ajudando os pilotos a serem mais rápidos. Esperava-se que a nova central eletrônica imposta pela Dorna aos times pudesse fazer com que essas ajudas diminuíssem, mas Stoner acredita que neste quesito a MotoGP continuará a mesma coisa.

"Na minha opinião, a central eletrônica ainda é muito avançada”, disse após testar na Malásia.

“Acho que poderiam ter parado o progresso, mas realisticamente eles não teriam ido para trás muitos anos. Se fosse para ser, teríamos que voltar para 2006 ou 2007. Nesta época a eletrônica estava lá, mas não te ajudava a ir mais rápido.”

"Esta ainda é bastante avançada e tenho certeza que nenhuma equipe atingiu seu potencial completo. Eles ainda estão aprendendo os programas e sistemas. Ainda há um longo caminho a percorrer, e isso vai ser melhorado ainda mais.”

"Sinceramente, pelo que notei, não há uma diferença enorme. É claro que é uma coisa boa em muitos aspectos, mas de outras maneiras estou desapontado que a moto não seja um pouco mais solta e um pouco mais complicada talvez."

Stoner voltará à pista de Sepang nesta segunda-feira com a Ducati número 27 com os pilotos da MotoGP no primeiro dia de testes oficiais do ano.

A pré-temporada da MotoGP terá três testes. Na Malásia (1 a 3 de fevereiro), na Austrália (17 a 19 de fevereiro) e no Catar (2 a 4 de março).

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Pilotos Casey Stoner
Tipo de artigo Últimas notícias