Viñales se frustra após dar “110%” em Jerez: “seria o 10º”

compartilhar
comentários
Viñales se frustra após dar “110%” em Jerez: “seria o 10º”
Valentin Khorounzhiy
Por: Valentin Khorounzhiy
8 de mai de 2018 14:23

Piloto espanhol critica mau desempenho da Yamaha e pede melhoras a montadora: "são 10 meses que eu estou dizendo a mesma coisa”

Maverick Viñales, Yamaha Factory Racing
Maverick Viñales, Yamaha Factory Racing
Maverick Viñales, Yamaha Factory Racing
Maverick Viñales, Yamaha Factory Racing
Maverick Viñales, Yamaha Factory Racing
Maverick Viñales, Yamaha Factory Racing
Maverick Viñales, Yamaha Factory Racing
Maverick Viñales, Yamaha Factory Racing
Maverick Viñales, Yamaha Factory Racing

A exemplo de 2017, quando Maverick Viñales e Valentino Rossi foram 6º e 10º em Jerez, o GP da Espanha de 2018 foi um pesadelo para a Yamaha, com o espanhol sendo 7º e Rossi em 5º.

O espanhol, que ficou fora do top-10 durante a maior parte da corrida e cujo resultado final foi prejudicado por um forte desgaste de pneus, disse que não há pontos positivos para se tirar do fim de semana.

"Acho que saímos com sentimentos muito negativos", admitiu Viñales. "Você sabe, eu vim de Austin me sentindo muito bem depois da corrida, porque demos bons passos”.

"Mas aqui nós chegamos à realidade. A moto está agora longe do topo. Acho que hoje rodamos a 110% da moto e chegamos em sétimo, e, se os pilotos à frente não tivessem caído, ficaríamos em 10º."

"É difícil dizer algo especial, porque me senti muito mal."

Viñales teve dificuldade para esconder sua frustração por ter que lutar com as motos clientes de Álvaro Bautista, da Nieto Ducati, e Franco Morbidelli, da Marc VDS Honda, na corrida.

"Eu estava atrás de Álvaro e Morbidelli, que fizeram corridas fantásticas, mas mesmo assim este não é o nosso lugar", disse ele.

"Nosso lugar é lutar pelo pódio, e em alguns lugares pela vitória, e é frustrante, honestamente, porque eu não consigo pilotar."

Como seu companheiro de equipe Rossi, Viñales novamente insistiu que o mau desempenho da Yamaha em condições como essas é proveniente da eletrônica, acrescentando que ele acha que não há como contrabalançar as fraquezas da moto.

"São 10 meses que eu estou dizendo a mesma coisa, que eu não tenho aderência, 10 meses. Quando eu chego nas pistas que são talvez um pouco mais quentes e talvez a pista não seja perfeita, eu não tenho aderência, é impossível", falou.

"Em um fim de semana eu tenho que usar três estilos de pilotagem, estilos diferentes para fazer funcionar a moto, só que nada funciona. Então, eu tento andar no estilo de Lorenzo, tento fazer tudo para a moto funcionar e finalmente temos o mesmo problema. A moto não está acelerando.”

"Então isso significa que é apenas uma coisa: a eletrônica que não está funcionando, com certeza."

Viñales ficou em quarto, a 0s4 da Tech 3 Yamaha de Johann Zarco, no teste pós-GP da Espanha na segunda-feira.

"A segunda-feira é sempre positiva, mas temos que ser positivos no domingo", disse ele. "Nós não resolvemos nada ainda."

Reportagem adicional por Oriol Puigdemont

Próxima MotoGP matéria
Márquez: “Crutchlow tem exatamente a mesma moto que eu”

Previous article

Márquez: “Crutchlow tem exatamente a mesma moto que eu”

Next article

Lorenzo tem pior início de um piloto da Ducati na história

Lorenzo tem pior início de um piloto da Ducati na história
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria MotoGP
Evento GP da Espanha
Localização Circuito de Jerez
Pilotos Maverick Viñales Shop Now
Equipes Movistar Yamaha MotoGP
Autor Valentin Khorounzhiy
Tipo de matéria Últimas notícias