Danica lamenta falta de interesse de times por sua despedida

No ano da aposentadoria, piloto norte-americana ainda não tem lugar garantido para fazer Daytona 500 e nem Indy 500

Danica Patrick admite que está demorando mais tempo do que esperava para realizar os acordos para suas últimas Daytona 500 e Indy 500 neste ano.

A piloto anunciou sua aposentadoria das corridas no ano passado em Homestead, final da NASCAR. Após isso, ela divulgou seus planos para suas duas últimas corridas em 2018.

Chip Ganassi chegou a falar pessoalmente com Danica logo após o anúncio, mas disse que um acordo teria que fazer sentido para sua equipe.

Entende-se que as principais equipes da NASCAR Cup descartaram Danica, a deixando com opções limitadas para Daytona.

"Está levando mais tempo do que eu gostaria, sendo muito honesta com você", disse Patrick à rádio SiriusXM. "Eu pensei que seria um processo mais rápido, mas você não pode se precipitar".

Ela acrescentou que continua negociando com equipes da NASCAR e da IndyCar sobre um potencial acordo, mas diz que está disposta a ser paciente.

"Eu acredito cada vez mais e apenas deixo as coisas fluírem e tomarem forma, e é por isso que acabei terminando minha carreira em tempo integral no ano passado", disse ela.

"Para fazer a Daytona 500 e a Indy 500 neste ano, não empurrei coisas. Deixei as coisas fluírem e elas acabarão perfeitamente. Com as equipes para as quais eu vou competir – ou a equipe - na NASCAR e IndyCar, estou negociando educadamente, mas você não pode fazer essas coisas acontecerem".

As equipes Penske e Andretti na Indy confirmaram que não terão carros extras para Danica na Indy 500, logo depois que ela confirmou sua aposentadoria.

A Schmidt Peterson Motorsports também disse que o acordo é improvável, embora seu programa para andar com Tristan Gommendy tenha terminado no final do ano passado.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias NASCAR Cup , IndyCar
Pilotos Danica Patrick
Tipo de artigo Últimas notícias