Dodge faz mea-culpa sobre saída da NASCAR e pensa em retorno

Marca que terminou participação na categoria em 2012, com o título de Brad Keselowski, pensa em retornar à maior competição do automobilismo norte-americano

Sergio Marchionne, CEO da Fiat Chrysler Automobiles, retirou a marca da elite da NASCAR no final de 2012, quando a Penske se mudou para a Ford, apesar de Brad Keselowski ter vencido o campeonato. No entanto, o seu envolvimento continuou no Canadá.

Marchionne revelou que conversou com Jim France, vice-presidente executivo da NASCAR, durante um jantar no sábado à noite.

"Sim, eu adoraria (voltar à NASCAR). Conversei com Jim France na noite passada ", disse Marchionne no domingo. "Eu tirei a Dodge, então eu era a parte culpada na mesa."

"Mas para aqueles que têm memória curta, em 2009 saímos de uma situação de falência, então correr na NASCAR, quando eu estava tentando pagar contas e folha de pagamento, era muito complicado."

"Estamos em um momento diferente agora. Acho que, se possível, voltaremos para a NASCAR, acho que precisamos encontrar o caminho certo para esse retorno."

"Eu concordei com Jim e Lesa (France-Kennedy) em voltar ao assunto a curto prazo."

Durante coletiva de imprensa em Homestead-Miami Speedway, o CEO da NASCAR Brian France confirmou ao Motorsport.com que teve conversas com outros fabricantes, mas disse que "não estava em condições de fazer esse tipo de anúncio."

O porta-voz da NASCAR, David Higdon, disse em um comunicado fornecido ao Motorsport.com: "Há um entusiasmo crescente em torno da NASCAR. Continuamos a ter um diálogo contínuo com um número de fabricantes sobre o interesse em aderir ao nosso esporte. Estamos ansiosos na continuidade das conversas sobre este tema."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias NASCAR Cup
Tipo de artigo Últimas notícias
Tags brian france, dodge, jim france, sergio marchionne