NASCAR não se opõe a protestos, mas pede respeito a hino

compartilhar
comentários
NASCAR não se opõe a protestos, mas pede respeito a hino
25 de set de 2017 20:25

Postura de pilotos e equipes da maior categoria do automobilismo norte-americano diferiu dos outros esportes do país

Pre-race ceremony
Pre-race ceremony
Pre-race ceremony
American flag
Giant American Flag
The American flag
American Flag
American flags with Sprint Cup flags in the wind
Dale Earnhardt Jr., Hendrick Motorsports Chevrolet

A NASCAR se pronunciou oficialmente nesta segunda-feira (25) sobre a polêmica envolvendo outros atletas, principalmente os da liga profissional de futebol americano, a NFL, que não acompanharam a execução do hino nacional em pé e perfilados nas últimas semanas.

"O esporte é uma influência unificadora em nossa sociedade, reunindo pessoas de diferentes origens e crenças. Nosso respeito pelo hino nacional sempre foi uma marca registrada de nossos eventos. Graças aos sacrifícios de muitos, vivemos em um país com liberdades sem paralelo e de inúmeras outras, incluindo o direito de expressar pacificamente a opinião", diz a mensagem à imprensa.

Trump, donos de equipes e Dale Jr.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu na semana passada que donos de equipes da NFL demitam jogadores que não respeitem o momento do hino, gerando uma série de respostas contrárias ao seu discurso.

No domingo, na etapa de New Hampshire, nenhum piloto ou membro de equipe se ajoelhou ou mudou a maneira de acompanhar as cerimônias que antecedem as provas. Minutos antes, donos de equipes endossaram o discurso de Trump, afirmando que demitiriam aqueles que não respeitassem o hino ou a bandeira.

Richard Petty, heptacampeão da categoria e dono da Richard Petty Motorsports, foi objetivo na sua resposta quando perguntado pela Associated Press sobre como ele lidaria com a situação, caso algum funcionário protestasse durante o hino nacional. 

"Qualquer um que não defenda o hino deve estar fora do país", disse Petty à AP. "Ponto. Quem os tem e onde eles estão? Os Estados Unidos."

Richard Childress foi na mesma linha, quando indagado pela NBC Sports.

[Eu diria para] pegar uma passagem de ônibus para casa quando o hino nacional acabar. Qualquer um que trabalhe para mim deve respeitar o país em que vivemos. Muita gente deu a vida por isso. É a América."

Na manhã desta segunda-feira, Trump elogiou a postura dos envolvidos com a NASCAR pelo Twitter.

 

"Estou muito orgulhoso da NASCAR e de seus torcedores. Eles não aceitarão o desrespeito ao nosso país ou à nossa bandeira - eles disseram isso alto e claro!"

Dale Earnhardt Junior, piloto mais popular da NASCAR, também utilizou o microblog para deixar seu recado, citando John Fitzgerald Kennedy

 

"É garantido a todos os americanos o direito de protestar pacificamente. Aqueles que tornam a revolução pacífica impossível, farão com que a seja inevitável a revolução violenta- JFK"

Next article
Kyle Busch escapa de 'Big One' e vence em New Hampshire

Previous article

Kyle Busch escapa de 'Big One' e vence em New Hampshire

Next article

Johnson diz que não vai se ajoelhar durante hino americano

Johnson diz que não vai se ajoelhar durante hino americano
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria NASCAR Cup