Querendo chegar à NASCAR, brasileiro faz escola europeia

compartilhar
comentários
Querendo chegar à NASCAR, brasileiro faz escola europeia
12 de jun de 2018 14:01

Correndo no campeonato europeu da NASCAR, Felipe Rabello luta para chegar em 2020 às divisões americanas da NASCAR

Felipe Rabello , PK Carsport Chevrolet
Race winner Elite 2, Felipe Rabello, PK Carsport Chevrolet
Felipe Rabello, PK Carsport Chevrolet
Felipe Rabello comemora
Felipe Rabello
Felipe Rabello

Em quinto após cinco rodadas do campeonato da NASCAR Euro neste ano, o mineiro Felipe Rabelo sonha em chegar às divisões da NASCAR americana em um futuro próximo. Depois de carreira no automobilismo brasileiro, o piloto de 34 anos chegou no ano passado à divisão europeia da categoria, ganhou corrida em oval e neste ano almeja o título.

Até aqui cinco das onze etapas desta temporada foram disputadas e ele está a 17 pontos do líder depois de vencer uma corrida em Franciacorta, na Itália. Outro brasileiro também corre o campeonato: Marconi Abreu, que coincidentemente está empatado com Rabello no momento.

“Estava pesquisando categorias de turismo na Europa quando me deparei com a Nascar Euro Series”, iniciou Felipe.

“O preço para correr era bastante competitivo com as outras categorias de turismo da Europa, mas com o diferencial de fazer parte da ‘família NASCAR’ e de ser uma porta de entrada para as principais categorias da NASCAR americana.”

“Meu objetivo na Europa e ser campeão da Elite 2 em 2018 e em 2019 disputar a Elite 1 da NASCAR Euro Series, para em 2020 migrar para a NASCAR americana.”

Rabello venceu a terceira corrida desta temporada, e depois de conquistar duas vitórias em sua primeira temporada (exatamente em um oval, em Venray na Holanda), ele mudou de equipe para este ano e crê ter feito a melhor escolha.

“Em 2017 eu competia pela CAAL racing, equipe italiana, muito competitiva, porém não me adaptei bem a equipe. Com duas vitórias em 2017 fui em busca de outra equipe dentro da NASCAR, que estava à procura de um piloto capaz de ganhar o campeonato de 2018. Assim fechei a temporada com a equipe Belga PK Sports, uma das equipes mais competitivas da EuroNascar.”

Por fim, o mineiro crê que a constância seja sua principal aliada. “Confio na minha força de vontade e acredito que consigo.”

“Tenho em mãos um carro ótimo e vou dar o meu melhor como sempre, volta após volta.”

Próxima NASCAR Euro matéria

Sobre esta matéria

Categoria NASCAR Euro
Pilotos Felipe Rabello
Tipo de matéria Entrevista