Ao TotalRace, Rubinho admite que pode correr três etapas na Stock

Piloto disse ter negado o convite da Medley Full Time logo de cara, mas voltou atrás por seu caráter solidário

A notícia da semana no automobilismo brasileiro foi, sem dúvidas, a chegada de Rubens Barrichello à Stock Car. Após 19 temporadas na Fórmula 1 e uma recente experiência de um ano completo na Indy, Rubinho concedeu uma entrevista ao repórter da Rádio Jovem Pan e colunista do TotalRace Felipe Motta sobre como surgiu o convite de correr na categoria e confirmando que pode fazer mais do que uma prova na temporada. "Esse convite pintou meio inesperadamente. A princípio neguei, afinal de contas, a temporada da Fórmula Indy acabou agora e tenho toda aquela coisa de procurar patrocínio, de ver a equipe... então o pensamento não estava voltado para a Stock Car. Mas depois veio a ideia de colocar todos os recursos em cima do Instituto Barrichello-Kanaan e fez isso valer a pena, porque saímos ganhando mesmo antes de começar a corrida", disse Rubens Barrichello.

Indagado se poderia correr mais etapas além da última, Rubens deixou em aberto, esperando para ver como será sua adaptação e seu treino, que será dia 15 de outubro, no autódromo de Curitiba. "Existem chances de eu correr (três etapas), para evoluir e chegar mais bem preparado para o Milhão. Não foi decidido, mas pode acontecer. O plano é, no dia 15 de outubro, fazer um teste em Curitiba para fazer uma primeira análise. Esse fim de semana eles competem em Tarumã, depois Brasília, Curitiba e São Paulo. Mas se eu correr só a Corrida do Milhão esse treino do próximo mês será essencial para me ambientar com o carro, entender como se comporta um bólido todo fechado como esse", disse Rubinho, que correu de carro de turismo há 18 anos nas Mil Milhas Brasileiras.

Sabendo das dificuldades de adaptação de carros de fórmula para os de turismo, Rubens Barrichello tratou de conversar com pilotos que fizeram este caminho, como Luciano Burti, por exemplo. "Já conversei um pouquinho com os meus amigos, e eles ficaram muito felizes de eu estar participando desta prova que é tão comemorativa e estar fazendo uma ação tão gostosa, querendo ajudar. Mas todo mundo sabe que não vai ser moleza, como já me disseram. Espero ter uma adaptação rápida, mas de qualquer forma não é aquilo que eu vivi a vida inteira, é um carro fechado e que deve se comportar muito diferente de tudo aquilo que eu já corri. Vai valer a experiência da andada e o prazer de estar novamente atrás do volante", completou o piloto com mais GPs na história da Fórmula 1.

Barrichello utilizou as palavras "orgulho" e "honra" para descrever essa primeira experiência que terá com um carro da Stock Car: "Poder participar de uma corrida que sempre foi muito bem disputada e que eu sempre assisti com muito prazer e com muito orgulho é uma grande honra. E competir para doar todo esse dinheiro para o instituto, que também está precisando. Toda essa criançada vai correr comigo dentro do carro", finalizou.

Rubinho correrá com o carro da equipe Full Time Medley de número 17 em homenagem a seu ídolo Ingo Hoffmann. Seu companheiro de equipe nas etapas, ou na etapa, que irá disputar será o ex-piloto de GP2 Xandinho Negrão.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Stock Car Brasil
Pilotos Rubens Barrichello
Tipo de artigo Últimas notícias