Bia: É necessário trazer as mulheres para o esporte

compartilhar
comentários
Bia: É necessário trazer as mulheres para o esporte
20 de dez de 2017 18:09

Piloto da Stock Car, com passagem na Indy, analisou a atual situação das mulheres no automobilismo mundial

Emerson Fittipaldi e Bia Figueiredo
Bia Figueiredo
Bia Figueiredo
Bia Figueiredo

A nomeação de Carmen Jordá a um cargo na Comissão de Mulheres no Automobilismo da FIA na semana passada gerou polêmica com outras pilotos, não gostando em ver a espanhola sendo lembrada, logo ela que teria dito que as mulheres não teriam como brigar de igual para igual com os homens.

Alheia a tudo isso, Bia Figueiredo opinou sobre o atual cenário feminino dentro do automobilismo, enfatizando que sem a quantidade, não se tira qualidade.

“Tive uma conversa muito legal com a Michèle Mouton em 2014 no México e eu sou muito alinhada com ela,”, disse Bia. “Tudo que a gente pode fazer pra conseguir trazer mulheres para o esporte, será o primeiro passo mais importante.” 

“Se for com categorias femininas, que elas se ambientem e peguem as melhores para uma categoria mista, seria o primeiro passo. A gente precisa crescer essa porcentagem. Eu sou a única mulher na Stock Car, logo, a minha chance de vencer é muito menor do que se tivessem 10 mulheres.” 

“Então a gente precisa aumentar esse número no automobilismo para que o investimento também chegue, para que nas categorias mistas, elas possam conseguir competir de igual para igual.”

Bia também opina sobre o que pode fazer com que o interesse feminino seja tão menor, diferentemente de outros esportes.

“Acho que é uma coisa meio que genética. A mulher, por si só, a maioria delas não gosta de velocidade, não se sentem bem com velocidade, não estou generalizando, tem muitas que teriam a coragem, mas o automobilismo é um esporte muito elitizado.” 

“Nem sempre elas têm o apoio da família ou o apoio financeiro suficiente para começar a crescer, e é o que te falei, a mulher normalmente tem outros interesses, e as que gostam talvez não tenham a oportunidade de começar algo por ser tão restrito.”

O ano de 2017

Bia Figueiredo terminou o campeonato de 2017 da Stock Car na 30ª posição, somando apenas 28 pontos. Mesmo com resultados abaixo do esperado, a piloto observou pontos positivos na temporada que se encerrou na semana passada.

“Acho que 2017 foi bom em vários sentidos e ruim em outros. Nossa pontuação no campeonato foi muito ruim, mesmo com algumas corridas indo bem, fomos 6º em Santa Cruz do Sul, entre os 10 em algumas corridas, mas falta constância, principalmente largar entre os 10, que faz com que você tenha chance de chegar.”

“Até mesmo nas batidas, fomos acertados muitas vezes neste ano, coisa até meio bizarras, como ficar oito corridas sem pontuar, por causa de acidentes, então isso é terrível para o campeonato.”

Bia confirmou que estará no campeonato do próximo ano, levando o patrocínio, mas não afirmou que só vai revelar o destino depois do natal.

“2018 ainda não está fechado, devo estar na Stock Car novamente com a Ipiranga, só estamos acertando aonde, não quero falar antes do natal.”

“Esse ano fiz algumas corridas da Porsche Endurance e gostaria de repetir no ano que vem, se tudo der certo, fiz algumas corridas de carros Vintage lá fora, que foi muito legal também, então, dependendo do calendário, fazer algumas coisas extras seria bacana.”

 

Próxima Stock Car Brasil matéria
Nasr disputa Stock Car em 2018, diz site

Previous article

Nasr disputa Stock Car em 2018, diz site

Next article

Cimed apresenta carro para temporada 2018 da Stock Car

Cimed apresenta carro para temporada 2018 da Stock Car
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Stock Car Brasil
Pilotos Ana Beatriz
Tipo de matéria Entrevista