Cacá afirma: “Corrida não foi tão tranquila como pareceu”

Atuação sem riscos aparentes do vencedor da prova deste domingo da Stock requereu certos cuidados a serem tomados

Cacá no banho da vitória

Vencedor da etapa de abertura da temporada 2012 da Stock Car, Cacá Bueno comentou sua corrida neste domingo.  O atual campeão da categoria disse que a prova não foi tão tranquila como pôde parecer para quem estava de fora. Segundo o piloto da Red Bull, seus pneus estavam em um nível crítico e o segundo colocado na prova, Thiago Camilo, estava chegando com um ritmo alucinante.

Cacá também explicou como conseguiu fazer uma largada tão boa, que o fez passar o pole Allam Khodair até com certa facilidade.

“Não foi tão tranquila não. Quando estava subindo a reta para largar, escutei o Khodair acionando o push (to pass, mecanismo que adiciona potência ao motor), pois o dispositivo só aciona depois de 3,000 RPM. Você sabe quando o piloto aciona quando ele aperta a embreagem e da uma acelerada. Mas só fui acionar o meu após uns seis, sete segundos, depois dele. Para mim ele acionou muito antes, quase não usou a potência extra. Então consegui passar ele de uma forma bem tranquila na largada. Acabei encostando no Ricardinho, pois não o vi em virtude da preocupação com o Allam. Mas sabia que eu largava de pneu zero e ele de usado. Vou ter que aproveitar essas três primeiras voltas para abrir uma vantagem e cuidar do pneu”, explicou o tetracampeão Cacá.

Na parte central da prova ele já sentiu um pouco melhor, pois Khodair já não tinha tanto pneu para acompanhá-lo, com isso conseguiu poupar equipamento.

“Tinha momentos que o Átila vinha rápido, mas apertei um pouco o ritmo. O Thiago veio muito rápido no final também, mas já tinha uma vantagem que deu para administrar sem correr muitos riscos, sem a acabar com os pneus ou atacar muito as curvas. Guardei cinco push's, e fui usando em voltas alternadas até o fim da prova. Ou seja, não foi tão tranquilo: tivemos uma largada tumultuada e um ritmo muito forte do Thiago e do Ricardinho no final e uma corrida que teve um desgaste de pneu crítico. Queria que a acabasse uma cinco voltas antes, mas fico feliz por ter conseguido ganhar”, comentou.

E Cacá também comentou as novas regras da Stock Car, que entram em vigor esse ano para – em suma – facilitar o entendimento da corrida para quem é um leigo, a fim de agregar mais torcedores para a categoria. Para o carioca, a ação é louvável, mas existem coisas a se ajustar e quem não deveriam ter mudado.

“Muitas coisas foram positivas. A ideia principal é deixar as coisas mais simples e claras para quem assiste. Nós aqui somos fãs de automobilismo, mas a grande maioria não está tão acostumada, então, quanto mais claras e simples as regras, mas fáceis para a pessoa que vem no autódromo entender. Antes era muito complicado. Até para as equipes estavam complicado. E o narrador ter que explicar que a pessoa que talvez está ganhando a prova esteja em quinto é complicado. Com o fim do descarte, o fim do playoff e o fim do reabastecimento, a competição ficou mais simples. Hoje todo mundo sabe quem é o primeiro, o segundo e o terceiro do campeonato.”

“Ao mesmo tempo eu acho que a regra do push na classificação não faz sentido. Ela pode movimentar uma classificação que não é transmitida para a TV e não tem ninguém nas arquibancadas sábado, e  você trás uma complicação a mais para a corrida, pois tem que se explicar que tem push, quem não tem. por que aquele cara que não disputa o título e não ganha corridas está largando ali na frente, quem é esse cara, e na TV não tempo de explicar. Para mim ela não nenhuma sentido, e vai na contramão do que estávamos buscando, que era simplificar as regras. Pensaram muito que ela podia trazer de positivo e esqueceram o lado negativo”, finalizou Cacá, que saiu de São Paulo com 22 pontos na bagagem.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Stock Car Brasil
Tipo de artigo Últimas notícias